Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo aponta as “prioridades nacionais urgentes”: está lá o sistema bancário mas não a revisão da Constituição

  • 333

MÁRIO CRUZ / Lusa

Portugal tem neste momento outras “prioridades nacionais urgentes”, como a consolidação do sistema bancário, defendeu o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República (PR) defendeu esta sexta-feira como “prioridades nacionais urgentes” consolidar o sistema bancário e compatibilizar o rigor financeiro com justiça social e estímulo ao investimento, pelo que “este não é o momento” para rever a Constituição.

“Neste momento há outras prioridades nacionais. Temos prioridades nacionais urgentes como seja compatibilizar o rigor financeiro, o controlo do défice, com justiça social e com estímulo ao investimento. Temos outra prioridade nacional que é a consolidação do sistema bancário. Penso que estas prioridades são, neste momento, mais importantes”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações aos jornalistas.

O PR falava na Universidade Católica do Porto, depois de uma conferência sobre os 40 anos da Constituição da República Portuguesa em que defendeu, claramente, que “este não é o momento propício para uma revisão constitucional”.

“Há outros debates que não são menos importantes e que, por vezes, ficam esquecidos", afirmou.

"Há momentos em que não há contexto para uma revisão constitucional. Este não é o momento”, frisou Marcelo Rebelo de Sousa, em resposta a um estudante que se encontrava no auditório da Faculdade de Direito da Universidade Católica.

Numa palestra em que fez questão de voltar a ser “professor”, Rebelo de Sousa destacou a atual “crise profunda nos sistemas de partidos na Europa”.

“Esta questão deve-nos levar a refletir. Esta é uma reflexão profunda que a Europa ainda não está a fazer”, disse, notando que “as bases dos sistemas partidários estão em crise em muitos países”.