Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo: “Missões dos fuzileiros são altamente prestigiantes”

  • 333

José Carlos Carvalho

Presidente da República aproveitou a visita desta manhã ao Corpo de Fuzileiros para prestar homenagem ao trabalho desenvolvido por estes militares, dentro e fora de Portugal

Carlos Abreu

Jornalista

O Presidente da República homenageou esta manhã o trabalho que os Fuzileiros têm desenvolvido ao longo dos anos, naquela que foi a sua primeira visita na qualidade de chefe de Estado a esta força especial da Marinha.

"A sua presença, por exemplo, no centro de África, e as missões cumpridas ao longo da sua história nos últimos anos são altamente prestigiantes para as Forças Armadas e para Portugal. E na primeira vez que o Presidente da República vem aqui aos Fuzileiros, ele tem a obrigação de agradecer em nome dos portugueses aquilo que é devido a uma realidade muitas vezes pouco conhecida, mas altamente operacional", disse Marcelo Rebelo de Sousa durante uma visita, na manhã desta quinta-feira, ao Corpo dos Fuzileiros.

O Presidente da República destacou ainda a formação contínua em que a corporação se encontra, dando como exemplo o trabalho que os seus militares estão a fazer em conjunto com as forças italianas, e o que possivelmente farão na Colômbia, "dependendo não só da evolução da situação naquele país, mas também da deliberação de hoje do Conselho Superior de Segurança Nacional que se realizará a bordo da Sagres [o navio-escola]".

Cerca de 90 Fuzileiros participam até 13 de outubro no exercício anfíbio Emerald Move 2016 (ERMO 16), que decorre na ilha italiana da Sardenha. Os militares portugueses, pertecem à força de Fuzileiros nº3, embarcarm a 25 de setembro em Rota, no Sul de Espanha, no navio de projeção anfíbia Juan Carlos I. Além de Portugal e Espanha, também participam no ERMO 16 forças de França, Itália, Holanda, Reino Unido, Bélgica e Turquia.

  • Comandante Marcelo passa o dia com a tropa

    O Presidente da República visita esta quinta-feira os Fuzileiros, que hão de transportá-lo numa lancha de assalto rápido da sua escola, em Vale de Zebro, até à Sagres, no Alfeite, onde reunirá o Conselho Superior de Defesa Nacional