Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Comandante Marcelo passa o dia com a tropa

  • 333

ANTONIO COTRIM / LUSA

O Presidente da República visita esta quinta-feira os Fuzileiros, que hão de transportá-lo numa lancha de assalto rápido da sua escola, em Vale de Zebro, até à Sagres, no Alfeite, onde reunirá o Conselho Superior de Defesa Nacional

Carlos Abreu

Jornalista

O Presidente da República visita esta quinta-feira o Corpo de Fuzileiros, pela manhã, e à tarde reúne o conselho Superior de Defesa Nacional a bordo do navio-escola Sagres, atracado no Alfeite.

Marcelo Rebelo de Sousa chegará à Escola de Fuzileiros, em Vale de Zero, concelho do Barreiro pelas 11h onde assistirá a provas de destreza na na mítica pista de lodo, de boa e má memória para tantas centenas de instruendos, bem como alguns meios de desembarque ao dispor desta força especialmente preparada para operações anfíbias. A visita há de terminar com o comandante supremo das Forças Armadas a ser transportado numa lancha de assalto rápido rumo ao navio-escola Sagres, atracado na Base Naval de Lisboa, Alfeite, concelho de Almada, onde, pelas 15h, reunirá o Conselho Superior de Defesa Nacional. Uma deslocação que promete alguma espetacularidade.

A visita ao Corpo de Fuzileiros vem na linha daquela que Marcelo Rebelo de Sousa realizou há cerca de um mês à Base Aérea n.º 5, em Monte Real, Leiria, onde também esteve presente na recepção da força nacional destacada entre 3 de maio e 31 de agosto na missão de patrulhamento aéreo da região do Báltico (Lituânia, Estónia e Letónia), realizada no âmbito da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla inglesa).

Depois das habituais visitas inaugurais do Presidente recém-eleito ao Estado-Maior-General (Marcelo visitou o Comando Conjunto para as Operações Militares a 5 de Abril) e aos três ramos das Forças Armadas (Marinha a 20 de Abril, Exército a 24 de maio e Força Aérea a 1 de junho), o Expresso sabe que o chefe de Estado manifestou-se disponível e interessado em realizar uma nova série de visitas a diversas unidades militares.

Comandante solidário

Na sua qualidade de comandante supremo da Forças Armadas, Marcelo também visitou a 9 de setembro os instruendos do curso de comandos internados no Hospital Curry Cabral e no Hospital das Forças Armadas onde contactou com as respetivas famílias a quem manifestou a sua solidariedade. Aos jornalistas, o Presidente da República assegurou no final da visita que “a verdade [sobre o que terá acontecido no 127.º curso de Comandos] será comunicada aos portugueses” que “serão os primeiros a saber, tudo”.

Uma semana depois do trágico acidente com um C-130, a 11 de julho no Montijo, em que perderam a vida três militares, o Presidente da República também visitou a Base Aérea n.º 6, tendo voado num dos carregueiros militares da esquadra 501, Bisontes. “O comandante supremo das Forças Armadas tem confiança na Força Aérea, tem confiança nesta unidade, tem confiança nos operacionais desta unidade, tem confiança nos C-130, tem confiança na continuação de uma missão que eu sei que vai continuar”, declarou na altura Marcelo Rebelo de Sousa.

Comandos na RCA e Bisontes no Mali

Na reunião desta tarde do conselho Superior de Defesa Nacional, é bem provável que Comandos e Bisontes estejam na agenda. Não pelos processos de investigação, ainda em curso, ao que se terá passado nestes dois incidentes, mas pelo facto de estar planeado o seu destacamento, ainda durante o segundo semestre deste ano, para dois complexos teatros de operações em África: os comandos para a República Centro Africana e a Força Aérea para o Mali, onde, de resto, já cumpriu diversas missões nos últimos anos aos serviço das Nações Unidas.