Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Congressista alertou secretário da Defesa dos EUA sobre “provável” uso das Lajes pela China

  • 333

O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva encontrou-se com o primeiro-ministro chinês na segunda-feira na ilha Terceira, Açores, mas disse que o encontro servia para preparar a visita do primeiro-ministro de Portugal, António Costa, à China e que não tinha "agenda escondida

O congressista lusodescendente Devin Nunes avisou o secretário da Defesa dos Estados Unidos que "é provável" que as instalações da Base das Lajes "acabem na posse do governo chinês", confirmou hoje à Lusa uma fonte do Congresso norte-americano.

"Como muitos no Congresso avisaram no passado, vários altos-representantes chineses visitaram os Açores em anos recentes. Sei agora que a China enviou uma delegação de cerca de 20 representantes, todos fluentes em português, numa viagem de pesquisa que durou semanas e que culmina com a visita do primeiro-ministro, Li Keqiang", disse Devin Nunes numa carta enviada a Ashton Carter na semana passada.

O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, encontrou-se com o primeiro-ministro chinês na segunda-feira na ilha Terceira, Açores, mas disse que o encontro servia para preparar a visita do primeiro-ministro de Portugal, António Costa, à China e que não tinha "agenda escondida."

Na carta interna, o congressista de origem açoriana garante que "a delegação chinesa é indicada como estando em negociações para expandir os seus investimentos e presença nas ilhas, incluindo o porto de mercadorias na Terceira, e que também expressaram interesse em utilizar a pista aérea da Base das Lajes."

O presidente da Comissão de Serviços de Informação da Câmara dos Representantes, a câmara baixa do Congresso dos Estados Unidos, explica que "a China tem espalhado a sua influência através de investimentos em infraestruturas semelhantes em Djibouti, no Sri Lanka, e em outras partes do mundo".

"Está agora a usar as mesmas táticas para estabelecer um ponto de apoio nos Açores, o que, se for bem sucedido, será usado como um centro de informações e logística que, no limite, pode ser expandido para usos militares, junto de estruturas criticas aos militares americanos", avisou Devin Nunes na carta.

Em julho de 2014, o Presidente da República Popular da China, Xi Jinping, esteve na ilha Terceira durante cerca de oito horas, numa escala entre o Chile e Pequim, em que aproveitou para se reunir com o então vice-primeiro-ministro de Portugal, Paulo Portas.

Já em 2012, tinha estado na ilha o primeiro-ministro chinês da altura, Wen Jiabao, acompanhado por uma comitiva de mais de 100 pessoas, numa escala técnica entre o Chile e a China, que demorou cerca de cinco horas.

Em junho deste ano, o presidente do Governo Regional dos Açores, recebeu, em Ponta Delgada, o ministro do Mar da China, Wang Hong, que destacou o potencial dos Açores na área do mar.

Todos estes encontros aconteceram depois de os Estados Unidos anunciarem a redução da sua presença militar na Base das Lajes.

"Estamos, efetivamente, a desinvestir de mil milhões de dólares em infraestruturas nas Lajes, que é provável que acabem na posse do governo chinês", concluiu Devin Nunes.