Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Costa diz que Governo não se conforma com redução americana na Base das Lajes

  • 333

O secretário-geral do PS, António Costa, discursou durante um jantar-comício no âmbito da pré-campanha para as eleições regionais nos Açores na Praia da Vitória, Açores

ANTÓNIO ARAÚJO / LUSA

O primeiro-ministro falou dos esforços que têm vindo a ser feitos, até junto do Congresso dos Estados Unidos para que os americanos mantenham presença na Base das Lajes

O secretário-geral do PS, António Costa, disse este sábado, na Praia da Vitória, nos Açores, que o Governo da República não se conforma com os efeitos provocados pela redução do efetivo militar norte-americano na base das Lajes.

"Não se conforma, nem a nossa diplomacia que se bate em Washington para que os americanos mantenham aqui presença, não se conforma o Vasco Cordeiro, que não se cansa de mobilizar no Congresso [dos Estados Unidos] os deputados e congressistas, em particular os luso-descendentes açorianos, para apoiar esta causa, mas não se conforma também o Governo da República", salientou.

António Costa falava num jantar comício na Praia da Vitória, na ilha Terceira, onde está instalada da base das Lajes, no âmbito da pré-campanha para as eleições legislativas regionais dos Açores, que se realizam a 16 de outubro.

O secretário-geral socialista e primeiro-ministro de Portugal disse que o Governo da República vai continuar a trabalhar em conjunto com o executivo açoriano, a autarquia da Praia da Vitória e outras instituições da ilha Terceira para "executar e concretizar" o Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira (PREIT), apresentado pelo Governo Regional, liderado por Vasco Cordeiro, em janeiro de 2015.

"Já estão em curso os trabalhos de certificação para o uso civil da base das Lajes, já está em curso o trabalho técnico para candidatar ao plano Junker a qualificação do Porto da Praia da Vitória e, sobretudo, hoje já estão a ser vendidos bilhetes para que a partir do próximo dia 2 de dezembro esta ilha também seja servida por companhias 'low cost'", frisou.

Por sua vez, o líder do PS/Açores, Vasco Cordeiro, que se recandidata às próximas eleições legislativas regionais, como cabeça de lista pelo círculo eleitoral da ilha de São Miguel e pelo círculo de compensação, salientou que ao contrário do anterior Governo da República da coligação PSD/CDS-PP, o executivo de António Costa assumiu desde a primeira hora o PREIT como guia para mitigar os efeitos da redução militar norte-americana na base das Lajes.

"Aquilo que António Costa tem feito em cerca da 10 meses de Governo e que é já bem mais do aquilo que outros em cinco anos fizeram pela nossa região é também a garantia de que com uma grande vitória do Partido Socialista no próximo dia 16 de outubro teremos em António Costa um amigo e um aliado para ajudar os Açores a enfrentar os desafios do futuro", salientou.

O líder do PS/Açores destacou o potencial dos voos 'low cost' para a dinamização do turismo na ilha Terceira, a rentabilização do Porto da Praia da Vitória, mas também o 'Azores Air Center', uma "estrutura ligada à oceanografia, ao clima, às ciências", que permitirá ter um "novo setor de criação de riqueza e de criação de emprego na ilha Terceira".

Sem mencionar o PSD, Vasco Cordeiro fez uma alusão ao afastamento de Mota Amaral, líder histórico dos social-democratas açorianos, da Assembleia da República, alegando que pelo contrário no PS, o seu antecessor, Carlos César, defende atualmente os Açores no parlamento nacional.

"O Partido Socialista dos Açores não recebe lições de outros partidos quanto à defesa dos Açores e dos açorianos e uma das principais provas está à vista. É que quando temos um grande açoriano que defende acerrimamente os Açores, nós levamo-lo para a Assembleia da República para aí também defender os Açores, nós não o escorraçamos do nosso partido", frisou.