Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Isaltino desmente Carreiras e confirma notícia do Expresso: foi mesmo sondado pelo PSD

  • 333

António Pedro Ferreira

Isaltino Morais foi mesmo abordado pelo PSD para se candidatar a Oeiras. O Expresso já tinha dado a notícia, o coordenador autárquico do PSD desmentiu, Isaltino confirmou esta noite em comunicado. E diz que recusou o convite

Filipe Santos Costa

Filipe Santos Costa

Jornalista da secção Política

Está desfeito o mistério de mais curta duração do atual processo pré-autárquico. Isaltino Morais, ex-presidente da câmara de Oeiras, foi mesmo sondado pelo PSD para voltar a concorrer no município com as cores do partido, conforme o Expresso noticiou em primeira mão na sua edição impressa de sábado passado. Carlos Carreiras, o coordenador autárquico do PSD, veio depois desmentir essa notícia, classificando-a como "uma maquinação". Esta quinta-feira, o próprio Isaltino confirmou tudo através de um comunicado.

O documento surgiu como resposta direta ao desmentido feito por Carlos Carreiras numa entrevista à Rádio Renascença, na quarta-feira. No texto, Isaltino abre o jogo sobre um conjunto de contactos que envolveram, não só o coordenador autárquico do PSD, mas também o presidente da distrital de Lisboa e o presidente da concelhia de Oeiras. Ou seja, toda a hierarquia envolvida na decisão das listas de candidatos a Oeiras entrou em campo.

"Depois de algumas conversas com o Dr. Carlos Carreiras, sobre as minhas intenções de me candidatar ou não às próximas eleições autárquicas em Oeiras, fui convidado a encontrar-me com o Presidente da Distrital de Lisboa do Partido Social Democrata, Eng.º Miguel Pinto Luz, e com o Presidente da Concelhia de Oeiras, Dr. Ângelo Pereira, encontro que teve lugar no Hotel Penha Longa, em Sintra, no dia 26 de julho, pelas 18 horas", conta Isaltino.

E continua: "Foi-me transmitido por aqueles dirigentes do partido o mandato que lhes tinha sido dado pelo referido coordenador autárquico, para que me fosse proposto concorrer aos órgãos autárquicos de Oeiras, integrando as listas do partido. Recusei os termos da proposta recebida", esclarece o antigo autarca de Oeiras. E nada mais revela.

O objetivo do comunicado não podia ser mais claro. "Este comunicado serve apenas para esclarecer a verdade sobre se fui convidado para integrar as listas do PSD, e a resposta é: FUI SIM!" (em letras maiúsculas no original).

Isaltino Morais não o revela, mas o Expresso avançou no sábado que o PSD estava disposto a apoiar o ex-autarca, mas apenas como cabeça de lista à Assembleia Municipal de Oeiras. O candidato à câmara seria outro nome, escolhido por acordo de ambas as partes. Seria a forma dos sociais-democratas conseguirem o apoio de Isaltino e evitarem que este se candidate de novo à presidência da autarquia - hipótese que este mantém em aberto, e que é vista como uma candidatura imbatível.

Apesar da sondagem de que Isaltino foi alvo, fontes da direção do PSD diziam no Expresso de sábado passado que dificilmente o apoio a Isaltino seria aprovado ao mais alto nível. O ex-autarca esteve preso por branqueamento de capitais e fraude fiscal. Antes, fez dois mandatos eleito por uma lista de cidadãos, depois de ter sido afastado do PSD por Marques Mendes, em 2005, devido às suspeitas de que era alvo.

“Mesmo que o PSD reconquistasse a câmara, isso traria um desgaste muito grande. Iria focar todas as atenções neste caso”, dizia ao Expresso um social-democrata que acompanha o processo.