Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Costa acredita em défice inferior a 2,5%

  • 333

Marcos Borga

Primeiro-ministro reitera confiança na aceleração do crescimento económico e aponta para défice no final do ano “claramente abaixo dos 3%”. “Com conforto, estamos confiantes de que será inferior a 2,5%”, defendeu no primeiro debate quinzenal desta sessão legislativa

António Costa defendeu esta tarde na Assembleia da República que o défice público português deverá "ficará claramente abaixo dos 3% do PIB" e que que Governo está "com conforto, confiante de que será inferior a 2,5%".

A meta foi avançada durante o seu discurso inaugural no primeiro debate quinzenal da nova sessão legislativa, onde reiterou a convicção de que o rumo traçado pelo Governo socialista está a "contrariar todos os catastrofismos semanais de quem já mais nada tem para dar, do que esperar o falhanço do país".

"Decidimos interromper a catástrofe social dos últimos anos, que começa agora a conhecer-se com maior rigor. Escolhemos devolver rendimentos às famílias" e "aunmentámos o salário mínimo nacional", exemplificou, defendendo que o caminho que o Governo seguiu "prova que não era impossivel" ter sido seguido antes. "Tem sido possível. A população empregada aumentou e o desemprego diminuiu, atingindo níveis que já não conhecíamos há vários anos", sustentou.

Depois de Costa ter defendido que "o indicador de clima económico melhorou", o líder do PSD, Passos Coelho contrapôs com a constatação de que a economia não está a crescer como o próprio Governo tinha estimado, pelo que instou Costa a rever a posição do Governo na preparação do próximo Orçamento do Estado.

Ao que Costa respondeu - no momento mais agitado do debate até agora . com a apresentação de vários gráficos para desmontar "os mitos" que diz estarem a ser criados pela direita sobre as quedas do investimento, das exportações e da economia.

[Texto atualizado às 16h06]