Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

BE pede ao Governo voz ativa pela reestruturação da dívida

  • 333

Tiago Miranda

“Se este for mais um Conselho Europeu para reafirmar a política de austeridade não terá servido para nada senão para piorar a situação na Europa“, afirmou Catarina Martins depois de uma reunião com o primeiro-ministro de preparação da Cimeira de Bratislava

A coordenadora do BE diz esperar que Portugal possa ter "uma voz ativa" pela reestruturação da dívida durante a Cimeira informal de Bratislava.

"Aquilo que nós esperamos é que Portugal possa ter uma voz ativa em questões como a reestruturação da dívida dos países soberanos, libertar recursos na Europa para o investimento e para o crescimento económico e criação de emprego, que é a condição fundamental para a coesão social e a estabilidade na Europa", afirmou Catarina Martins, que falava aos jornalistas após a audiência com o primeiro-ministro António Costa, de preparação da Cimeira de Bratislava, que decorre esta sexta-feira.

"Das questões que mais preocupam o BE são as questões da política económica, julgamos que não há nenhuma resposta para as questões da segurança na Europa, para a estabilidade na Europa, que não passe pela possibilidade de investimento, de crescimento económico e de emprego", sustentou Catarina Martins.

"Se este for um Conselho Europeu para se acertar mais medidas da chamada integração europeia, que na verdade retiram mecanismos democráticos aos países, não terá servido para nada. Se for mais um Conselho Europeu para reafirmar a política de austeridade não terá servido para nada se não para piorar a situação na Europa", acrescentou.

A reunião informal de Bratislava, que se realiza numa altura em que a Eslováquia tem a presidência rotativa da União Europeia, juntará chefes de Estado e de Governo de 27 Estados-membros, sem a presença do Reino Unido.

A questão do "brexit", na sequência do referendo britânico e a estratégia de médio prazo da União Europeia, serão os dois principais temas em discussão.

No processo de preparação desta reunião informal, António Costa reuniu-se em Atenas, na sexta-feira passada, com os chefes de Estado e de Governo dos Estados-membros da Europa do sul, e no domingo participou num jantar informal em Berlim a convite da chanceler alemã, Angela Merkel.

Antes, a convite do presidente francês François Hollande, o primeiro-ministro já tinha estado em Paris numa reunião que juntou líderes socialistas e progressistas de governos da União Europeia, tendo tido também uma conversa telefónica com o presidente do Conselho Europeu, o polaco Donald Tusk.