Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Jerónimo defende reavaliação da forma como decorre o treino militar

  • 333

MIGUEL A. LOPES / Lusa

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirmou que é necessária uma reavaliação da forma como é efetuado o treino militar, depois da morte de dois militares dos Comandos

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirmou este sábado que é necessária uma reavaliação da forma como é efetuado o treino militar, depois da morte de dois militares dos comandos.

“Perante o triste acontecimento, nós consideramos que é necessária uma reavaliação da forma como é feito o treino militar nesse setor dos comandos, como em outros setores. A missão constitucional das Forças Armadas prevê e garante valências diversas, incluindo o setor dos Comandos”, disse, durante uma visita às Festas da Moita, no distrito de Setúbal.

Jerónimo de Sousa defendeu que, embora as situações tenham sido “dramáticas”, as Forças Armadas têm a missão de defesa nacional. “Essa responsabilização constitucional das Forças Armadas não pode viver de conjunturas, mesmo dramáticas que sejam. Existe uma missão das Forças Armadas de defesa nacional e tem de se encontrar respostas”, defendeu.

O segundo militar dos Comandos, que estava internado no hospital em estado muito grave, morreu este sábado, depois de problemas ocorridos durante o 127.º curso de Comandos do Exército.

O militar em causa, Dylan Araújo da Silva, encontrava-se internado no Hospital Curry Cabral, em Lisboa, desde o dia 6 de setembro, devido a complicações hepáticas.

No domingo passado (dia 4), no âmbito do mesmo treino militar na região de Alcochete, distrito de Setúbal, um outro militar morreu e vários receberam assistência hospitalar.