Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Passos Coelho diz que PSD não esquecerá Barbosa de Melo

  • 333

João Relvas / Lusa

Pedro Passos Coelho garantiu que partido recordará sempre a sua dedicação e empenho

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, expressou esta quarta-feira a sua "profunda consternação" pela morte do antigo presidente da Assembleia da República, António Barbosa de Melo.

"Foi com profunda consternação que o PSD tomou conhecimento do falecimento, hoje ocorrido, do Professor António Barbosa de Melo", refere Passos Coelho, numa nota à imprensa.

O líder social-democrata recorda o fundador do partido como um "cidadão exemplar, jurista de eleição e professor reputado", considerando que "integra também o grupo restrito daqueles que marcaram, de forma indelével, a construção do novo regime democrático".

"Desde logo, em 1976, como deputado à Assembleia Constituinte, onde desempenhou um papel muito importante na elaboração da nova lei fundamental. Mais tarde, enquanto Presidente da Assembleia da República, funções que exerceu entre 1991 e 1995, com uma elevação e uma competência unanimemente reconhecidas", recorda.

Passos Coelho sublinha ainda que, no plano partidário, a vida de Barbosa de Melo "ficou indelevelmente ligada à história do PSD, partido de que foi um dos fundadores e no qual exerceu uma multiplicidade de cargos e funções, com destaque para o de Presidente do Grupo Parlamentar".

"O PSD não esquece hoje, nem nunca esquecerá, o muito que ficou a dever ao empenho, à dedicação e à competência do Professor Barbosa de Melo", refere, endereçando em seu nome e do partido as condolências à família.

António Barbosa de Melo morreu hoje, aos 83 anos, no Centro Hospital e Universitário de Coimbra.

Investigador e professor catedrático da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, António Moreira Barbosa de Melo foi um dos fundadores do PSD, no qual exerceu diversos cargos nos órgãos nacionais.

Integrou a Comissão para a elaboração da lei eleitoral para a Assembleia Constituinte em 1974, da qual foi também deputado. Exerceu novamente o mandato de deputado na Assembleia da República nos anos de 1976-1977 e 1991-1999.

Foi presidente da Assembleia da República durante a VI Legislatura (1991-1995) e foi membro do Conselho de Estado.