Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Associação de Proprietários acusa Costa de mudar de opinião sobre congelamento de rendas

Nuno Fox

Associação Lisbonense de Proprietários partilha nas redes sociais vídeo de António Costa em 2011, na “Quadratura do Círculo”, a criticar o congelamento das rendas. “Pressionado pelas forças políticas de esquerda que suportam o Governo, o primeiro-ministro defende agora um regresso ao congelamento das rendas, com os senhorios a suportarem obrigações sociais do Estado”, acusa a associação

A Associação Lisbonense de Proprietários acusa o primeiro-ministro António Costa de ter mudado de opinião sobre o congelamento das rendas, "pressionado pelas forças políticas de esquerda que suportam o Governo".

Para sustentar esta tese, a associação partilhou esta terça-feira na sua página no Facebook um vídeo de António Costa, em dezembro de 2011, no painel de comentadores do programa "Quadratura do Círculo", onde o então presidente da Câmara de Lisboa defendia que o congelamento das rendas durante décadas "teve um efeito negativo".

"Estamos todos de acordo que esse congelamento durante décadas teve um efeito negativo: não enriqueceu os inquilinos, empobreceu os senhorios e sobretudo depauperou as cidades. Agora, como é que se dá a volta a isto? É muito simples: para que as rendas sejam atualizadas há uma de duas entidades que tem que pagar: ou o inquilino, ou o Estado, subsidiando o inquilino. Caso contrário continua o senhorio a pagar", defendia Costa, antes de concluir que "o que se tem constatado sempre é que quando se diz 'vamos acabar com isto porque é injusto os senhorios continuarem a suportar', há aquele momento em que se ouve o Ministério das Finanças, que diz que a ideia é boa, mas não temos dinheiro para fazer o subsídio".

Na publicação desta tarde no Facebook, a Associação de Proprietários Lisbonenses conclui que "pressionado pelas forças políticas de esquerda que suportam o Governo, o primeiro-ministro defende agora um regresso ao congelamento das rendas, com os senhorios a suportarem obrigações sociais do Estado".

Na base desta crítica da Associação de Proprietários Lisbonenses estão as notícias da semana passada sobre a existência de um acordo entre o PS e o Bloco de Esquerda para que em vez de ser criado um subsídio para ajudar ao pagamento de rendas atualizadas, os inquilinos idosos e com carências financeiras passem a ter 10 anos de período transitório na atualização das suas rendas, em detrimento dos cinco que estavam previstos na alteração à lei feita em 2012 pelo anterior Governo.