Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Costa garante fim de todos os cortes nas pensões

Marcos Borga

Adiamento do fim da CES para haver dinheiro para aumento das pensões mais baixas era hipótese. PCP e BE frontalmente contra qualquer manutenção de cortes

Helena Pereira

Helena Pereira

Editora de Política

O primeiro-ministro garantiu esta quarta-feira que em 2017 não será mantido nenhum corte nas pensões.

"Está fora de causa. Não haverá qualquer novo corte de pensões", afirmou hoje o primeiro-ministro aos jornalistas, confrontado com a notícia do Público de que o Governo admitia manter a Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) que atinge os pensionistas com rendimentos elevados de modo a ter mais dinheiro para aumentar as pensões mais baixas.

"O que está estabelecido no Programa do Governo é que os cortes serão eliminados. A sobretaxa será eliminada e os vencimentos serão repostos", explicou ainda.

Contactado pelo Expresso, tanto o BE como o PCP manifestaram-se contra qualquer ideia de adiar o fim da CES.

"O PCP sempre se opôs à criação da CES, tendo já no quadro da nova fase da vida política nacional defendido a sua extinção total em 2016. A penalização injusta e indevida que permanece (50%) deve ser integralmente eliminada em 2017. É falsa a ideia de que para aumentar os pensionistas com pensões mais baixas é preciso reduzir as pensões mais altas", reagiu, por escrito, o PCP. "A valorização do conjunto das pensões, com especial atenção para as mais baixas, repondo as parcelas perdidas nos últimos quatro anos e procedendo à sua actualização anual é uma exigência inadiável", acrescenta.

O BE, pela voz do deputado José Soeiro, afirmou ao Expresso, por seu lado, que o partido "é a favor do princípio de que quem tem mais, contribui mais e não do princípio de que os rendimentos não sejam integralmente devolvidos".