Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

PSD quer esclarecimentos sobre viagem paga pela Galp

  • 333

O vice-presidente do grupo parlamentar do PSD Leitão Amaro disse que o partido “ficou naturalmente surpreendido com esta notícia” e que vai apresentar na quinta-feira uma pergunta parlamentar ao Governo para obter esclarecimentos

O PSD quer esclarecimentos do Governo sobre uma viagem que terá sido paga integralmente pela Galp ao secretário de Estado dos Assuntos Fiscais para assistir a um dos jogos da seleção no Campeonato Europeu de Futebol.

A edição online da revista “Sábado” conta esta quarta-feira que o secretário de Estado Fernando Rocha Andrade viajou a convite da Galp para assistir a um dos encontros da seleção portuguesa durante a fase de grupos do Europeu.

“O governante tem sob a sua tutela a resolução de um conflito fiscal milionário que opõe o Estado português à Galp desde que a empresa, ainda na vigência do anterior Governo, se recusou a pagar dois impostos que em conjunto superam largamente os 100 milhões de euros em dívida”, escreve a revista “Sábado”, que trará a peça desenvolvida na edição em papel que sai quinta-feira nas bancas.

Em declarações à agência Lusa, o vice-presidente do grupo parlamentar do PSD Leitão Amaro disse que o partido “ficou naturalmente surpreendido com esta notícia” e que vai apresentar na quinta-feira uma pergunta parlamentar ao Governo para obter esclarecimentos.

“É fundamental esclarecer esta situação. Saber se é verdade que o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais recebeu ofertas de viagens e de deslocação de uma grande empresa que tem pelo menos um litígio fiscal pendente de muitos milhões de euros com o Estado, em particular com um serviço que depende da tutela do próprio secretário de Estado”, afirmou Leitão Amaro.

O social-democrata adiantou ainda que pretende perceber se “este é um fenómeno apenas com o secretário de Estado” ou se existem outros casos de membros do Governo a ter recebido ofertas de viagens da parte de empresas privadas com as quais o Estado tenha algum tipo de relação: um litígio, uma relação contratual ou comercial.

“É preciso perceber se houve algum recebimento indevido de alguma vantagem por parte de membros do Governo”, acrescentou.

Na edição online da revista “Sábado”, o secretário de Estado disse encarar “com naturalidade, e dentro da adequação social, a aceitação deste tipo de convite - no caso, um convite de um patrocinador da seleção para assistir a um jogo da Seleção Nacional de Futebol”.

Questionado pela Lusa sobre se é ou não frequente membros do Governo aceitarem convites de patrocinadores para irem a eventos, o deputado Leitão Amaro disse que não pretende para já fazer juízos de valor, mas sim obter esclarecimentos do Governo.

Contudo, considera “estranho que um membro do Governo receba ofertas de empresas” com as quais o Estado tem relações contratuais, comerciais ou de litígio.