Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Rússia e EUA pedem calma

  • 333

O secretário de Estado John Kerry disse esperar que prevaleça a paz, a estabilidade e a “continuidade” do poder no Turquia. Já chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov apela a que se evitem evitem “confrontos mortais”

O chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, apelou esta sexta-feira para que se evitem "confrontos mortais" na Turquia, onde está em curso uma tentativa de golpe de Estado.

"Os problemas da Turquia devem ser resolvidos no respeito pela Constituição", afirmou o responsável numa conferência de imprensa conjunta com o homologo norte-americano, John Kerry.

John Kerry disse esperar que na Turquia prevaleça a paz, a estabilidade e a "continuidade" do poder no Turquia.

"Vi as informações (sobre o que está a acontecer na Turquia) mas não tenho mais detalhe por agora. Espero que haja paz, estabilidade e continuidade na Turquia", disse o secretário de Estado.

O Governo norte-americano já pediu aos seus cidadãos para que fiquem em casa, um apelo que também fez o Governo de Espanha.

Militares turcos declararam esta noite a lei marcial e o recolher obrigatório, depois de terem anunciado que tinham tomado o poder no país.

O canal público de televisão divulgou um comunicado das "Forças Armadas turcas" a dar conta da proclamação da lei marcial e de o recolher obrigatório em todo o país.

"Não vamos permitir que se degrade a ordem pública na Turquia. Um recolher obrigatório é imposto no país até nova ordem", especifica o comunicado, assinado pelo "Conselho da paz do país", que diz que tomou o poder.

Depois de aviões terem voado a baixa altitude há helicópteros a sobrevoar a capital turca.