Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Eleito do PSD aceita pelouro de Rui Moreira e deixa o partido a classificar o Executivo como “um albergue”

  • 333

Rui Duarte Silva

Ricardo Valente, eleito pela coligação “Porto Forte”, lançada por Luís Filipe Menezes, passa a ser o responsável pela Economia na Câmara do Porto, pasta até agora a cargo do presidente

A notícia da atribuição de um pelouro a tempo inteiro a Ricardo Valente, eleito nas listas do PSD, gestor de empresas e professor na Faculdade de Economia do Porto, já está a provocar mossa, ao ponto de aquele partido, para lá de ver agora o executivo como “um albergue”, considerar esta decisão “uma deslealdade para quem o elegeu”.

Em comunicado distribuído na tarde desta quarta-feira, assinado pelo presidente da Comissão Política Concelhia daquele partido, Miguel Seabra, é manifestada estranheza pela opção tomada por Ricardo Valente, “porque sempre se referiu em tom de crítica contundente ao trabalho do atual executivo camarário no que às contas municipais diz respeito e de forma, no mínimo irónica, em relação a alguns dos seus, agora, colegas de vereação”.

Embora considere ser legítima a aceitação do pelouro, Miguel Seabra refere que “esta postura torna-se elucidativa sobre o grau de convicção” do agora escolhido por Rui Moreira.

Em resultado da opção de Rui Moreira, o executivo portuense passe a ter vereadores com pelouro eleitos pela lista independente “Rui Moreira: Porto o Nosso Partido” (cinco); pelo PS (dois); e agora um pela coligação “Porto Forte/PSD”. Alberto Amorim Pereira (PSD) e Pedro Carvalho (CDU) são os únicos eleitos sem pelouro atribuído.

Executivo é "um albergue"

Para o PSD, “o albergue em que se está a tornar o Executivo Camarário” ganha mais “um cristão-novo a juntar a uma amálgama de raças, credos e oportunismos sem precedentes na cidade do Porto”. O executivo, acusa Miguel Seabra, é responsável “por uma inenarrável execução orçamental”. Aquele dirigente classifica de “pouco ético” o jogo político de Rui Moreira.

O comunicado termina de forma irónica, ao desejar que Ricardo Valente “seja feliz”. O PSD avisa, porém, que estará atento “(e até com indisfarçável curiosidade) à mudança de ‘chip’ político e, consequentemente, adoção de novas convicções, princípios e narrativas do mais recente apoiante de Rui Moreira”.

Licenciado em Economia, em 1992, pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, Ricardo Valente é Mestre em Finanças pela Faculdade de Ciências Económicas Empresariais da Universidade católica de Lisboa. Para lá da atividade docente, exerceu, desde 1992, atividade profissional na área financeira.