Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo: “Hoje temos mais razões para acreditar em Portugal”

  • 333

José Caria

O Presidente da República saudou um a um os jogadores da seleção. Lembrando que “os problemas” do país não acabaram, frisou que hoje é um dia melhor do que o de ontem

Helena Pereira

Helena Pereira

Editora de Política

"Hoje temos mais razões devido a vocês para acreditar em Portugal". Foi assim que o Presidente da República agradeceu aos 23 jogadores da seleção nacional no Palácio de Belém, recebidos ao início da tarde, vindos diretamente do aeroporto Humberto Delgado.

Repetindo a palavra "gratidão", Marcelo Rebelo de Sousa frisou a diferença do dia de hoje. "Continuamos a ter problemas económicos, políticos e sociais. O dia de hoje é, nesse sentido, igual ao de ontem. Mas não é. Há uma diferença: a diferença foi o vosso exemplo, do que é ganhar com coragem, determinação, capacidade de luta, humildade e espírito de equipa. Hoje temos mais razões devido a vocês para acreditar em Portugal", disse aos campeões da Europa.

“Eu disse, há um mês e três dias, que vocês eram os melhores. E muita gente ao longo deste mês disse: eles são bons, mas têm sorte. Está provado que não há acaso, nem sorte, nem são uma equipa banal. São os melhores da Europa e toda a Europa o disse”, acrescentou.

José Caria

Marcelo Rebelo de Sousa começou o seu curto discurso, porém, dirigindo-se ao selecionador nacional: “Ó, Fernando, que liderança tão inteligente, tão serena, tão calma, tão resistente, tão persistente, sem nunca ter medo de nada. Nunca. E vencemos!”.

Cristiano Ronaldo, Éder e Quaresma foram os nomes mais aclamados pelas largas centenas de pessoas que esperaram pela seleção nacional de futebol junto ao Palácio de Belém, em Lisboa.

A equipa chegou às 14h18, com cerca de uma hora de atraso relativamente à agenda, num autocarro panorâmico, acenado aos populares, que gritavam “campeões”. Cristiano Ronaldo trazia um cachecol da seleção nacional ao pescoço e uma grande bandeira da Região Autónoma da Madeira, que lhe cobria as costas.

Depois de ter sido homenageada pelo Presidente da República, a equipa foi à varanda do Palácio de Belém mostrar a taça de campeã europeia e a banda filarmónica da GNR tocou o hino nacional, que foi entoado pelos presentes.

Portugal sagrou-se, no domingo, campeão da Europa de futebol pela primeira vez na história, ao bater, na final, a anfitriã França por 1-0, após prolongamento, num encontro disputado no Stade de France, em Saint-Denis, França.