Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Costa sobre o Brexit: “Devemos dar tempo ao tempo”

  • 333

OLIVIER HOSLET / EPA

António Costa apela à calma relativamente ao mecanismo de saída dos britânicos da UE: “O Reino Unido quer esperar pelo novo governo para liderar essas negociações. Não me escandaliza, acho normal que assim seja”

O primeiro-ministro manifestou-se esta quarta-feira satisfeito com a discussão realizada na cimeira europeia, em Bruxelas, sobre o Brexit, falando em “confiança” transmitida pelos 27.

“Em vez de negar o óbvio e adotar a estratégia da avestruz, o Conselho decidiu encarar de frente estratégias”, disse António Costa aos jornalistas, após a cimeira em Bruxelas que debateu a saída do Reino Unido da União Europeia.

O reforço do controlo das fronteitras externas, o combate ao terrorismo, a resposta ao drama dos refugiados e um novo impulso para o emprego e para a convergência, de forma a corrigir as assimetrias entre os Estados-membros, foram algumas das questões discutidas no encontro, a par do Brexit, segundo adiantou o primeiro-ministro.

Sobre o mecanismo de saída dos britânicos da UE, Costa apelou à calma. “Devemos dar tempo ao tempo. O Reino Unido quer esperar o novo governo com legitimidade para liderar essas negociações. Não me escandaliza, acho normal que assim seja”, sustentou.

O chefe do Governo deixou ainda uma palavra de tranquilidade para os portugueses residentes no Reino Unido, salientando que as consequências práticas do referendo só serão visíveis quando se concluírem as negociações do Brexit: “Nos próximos largos meses não haverá nenhuma alteração na relação entre a UE e o Reino Unido”.

“A comunidade portuguesa tem todas as razões para estar calma, pois nada se alterou de significativo. Mas negociações a nossa prioridade será salvaguardar os direitos e proteger a comunidade portuguesa”, garantiu.