Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Portas “promovido” a presidente do conselho consultivo da Mota-Engil

  • 333

Luis Barra

A longa biografia de Paulo Portas no site da empresa espanhola “Thinking Heads”, que organiza eventos com conferencistas a níveis mundial, descreve-o como “politicamente incorreto, irónico e pragmático”

Uma das novas funções de Paulo Portas, ex-vice-primeiro-ministro, é ser orador em conferências internacionais, já com contrato assinado com a “Thinking Heads”, uma empresa com sede em Madrid que organiza conferências com oradores de todo o mundo. E é na sua longa biografia como orador, publicada no site da empresa, que Paulo Portas é descrito como “politicamente incorreto, irónico, pragmático, carismático e resolutivo”.

Entre os cargos enumerados, Portas é apontado como “presidente” do conselho estratégico internacional da Mota Engil, numa das versões da biografia, e como “vicepresidente” numa outra versão – um dado novo, ainda que não seja claro, em relação à entrada de Portas para a construtora, pois até agora falava-se apenas no seu papel como “consultor” da empresa portuguesa.

Paulo Portas diz ao Expresso que o cargo que ocupará na Mota Engil ainda não está fechado (foi convidado para pôr a funcionar o novo conselho estratégico da empresa) e esclarece que a biografia foi elaborado pela própria empresa “Thinking Heads”.

Liderança, internacionalização de empresas, conjuntura económica, mercados emergentes e política internacional são alguns dos temas sobre os quais Paulo Portas dará conferências, em cinco línguas e com duas áreas específicas - Europa e América Latina.

O ex-vice-primeiro-ministro é descrito como “impulsionador da diplomacia económica”. Lê-se no perfil que, enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros, entre 2011 e 2013, “abordou as relações internacionais como diplomacia económica e a geopolítica como geoeconomia”.

“Reinventou a sua trajetória profissional por várias vias”, lê-se no perfil, fazendo referência ao seu papel como consultor estratégico em África, América Latina e Golfo Pérsico, para além de ter “retomado a sua carreira jornalística, com um programa de domingo na televisão sobre política internacionais”.

À semelhança do que é feito com outros conferencistas, são destacadas várias frases de Portas. “O nosso desastre foi fazer autoestradas fantásticas pelas quais não passam carros” é uma das sete frases que constam do perfil.

“Quando vejo o socialismo, torno-me liberal; quando vejo muita desregulação, torno-me social democrata; quando vejo desordem, torno-me conservador” é outra. E ainda: “O dia mais feliz da minha vida foi o dia em que me despedi da Troika”.

Paulo Portas surge entre muitos outros oradores, como o ex-primeiro-ministro espanhol Felipe Gonzalez, o Nobel da Economia Joseph Stiglitz, o chef Ferran Adrià, o fundador da Virgin Richard Branson, a diretora da rede social Linkedin em Espanha e Portugal, Sarah Harmon, ou a atual presidente da Libéria, Ellen Johson-Sirleaf.