Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Principais correntes do Bloco elegem mais de 4/5 dos delegados à Convenção

  • 333

Marcos Borga

A moção A, que reúne agora as tendências do BE que se digladiaram há dois anos (então lideradas por Catarina Martins e Pedro Filipe Soares), terá na Convenção do próximo fim de semana, em Lisboa, 523 dos 639 delegados (81,85% do total)

Mais de quatro em cada cinco delegados à próxima Convenção do Bloco de Esquerda (agendada para sábado e domingo próximos em Lisboa, no Pavilhão do Casal Vistoso) são afetos à moção A ("Força da esperança – O Bloco à conquista da maioria"), cuja primeira subscritora é Catarina Martins, a porta-voz do partido.

A ordem de grandeza encontrada nas eleições que este sábado e domingo decorreram por todo o país está em linha com a história do Bloco, em que a dimensão das moções minoritárias (não necessariamente estas) se aproxima por regra de uma quinta parte dos delegados.

A moção A – cujos principais núcleos são a Plataforma Unitária (de Catarina Martins) e a Esquerda Alternativa (de Pedro Filipe Soares, que em 2014 disputou a liderança do BE com a atual porta-voz, uma luta que quase fraturou o Bloco e terminou com um empate técnico) – elegeu 523 delegados (81,85%).

Em segundo lugar, com 33 delegados (9,30% dos 639 delegados), ficou a moção R ("Crescer pela Raiz"), que tem em João Carlos Louçã um dos principais dinamizadores. A moção B ("Mais Bloco") elegeu 33 delegados (5,16%). Várias plataformas locais conquistaram 23 lugares (3,60% do colégio de delegados).

No concelho do Porto, cuja lista era encabeçada por Catarina Martins, a moção A elegeu 28 dos 34 delegados (os outros seis foram para a R). Já em Santa Maria da Feira (distrito de Aveiro), em que o líder parlamentar Pedro Filipe Soares era o n.º 2 (o primeiro era o deputado Moisés Ferreira), a moção A arrebatou todos os delegados (19).

No concelho de Lisboa, em que a deputada Mariana Mortágua, uma das vice-presidentes da bancada, era a n.º 1 da lista (Luís Fazenda estava em 2.º e Francisco Louçã aparecia no 10.º posto), a moção das duas principais correntes do BE conquistou 50 dos 68 delegados (16 foram para a R e dois para a B).

Em Coimbra (com a eurodeputada e ex-candidata presidendial Marisa Matias em primeiro lugar e José Manuel Pureza, vice-presidente do Parlamento, em segundo), outro pleno para a moção A: 18 delegados .

No concelho de Almada, com a deputada Joana Mortágua a n.º 1, a moção A ganhou 13 dos 17 lugares (B e R dividiram os restantes). Já em Loures, numa lista que tinha como número 4 Jorge Costa, um dos vice-presidentes da bancada parlamentar, a moção A conquistou sete dos oito delegados (o outro foi para a R).