Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

PS quer Parlamento unido contra sanções de Bruxelas

  • 333

ANTONIO COTRIM / LUSA

Contactada pelo Expresso na quarta-feira à tarde, a vice-presidente do PSD Maria Luís Albuquerque admitiu estar a estudar a questão, mas adiantou que esta semana o PSD ainda não tomaria qualquer decisão

Helena Pereira

Helena Pereira

Editora de Política

Todos contra as sanções de Bruxelas: esta é a mensagem que o Governo quer levar à Comissão Europeia. Mas antes disso, há uma questão política por resolver no Parlamento. Segundo o “Público” esta quinta-feira, o PS vai apresentar uma resolução no Parlamento a rejeitar estas sanções, de forma a forçar o PSD e o CDS a clarificarem as suas posições, quanto às possíveis penalizações vindas de Bruxelas por causa do défice excessivo de 2015.

Tanto Passos Coelho como Maria Luís Albuquerque intervieram, nas últimas semanas, perto da Comissão Europeia, para que estas sanções não se concretizem. Mas o PS quer um apoio político formalizado nesta questão, o que também poderá servir de trunfo junto da Comissão Europeia.

Contactada pelo Expresso na quarta-feira à tarde, a vice-presidente do PSD Maria Luís Albuquerque admitiu estar a estudar a questão, mas adiantou que esta semana o PSD ainda não tomaria qualquer decisão. "Veremos nos próximos dias", disse Maria Luís Albuquerque, que escreveu há duas semanas uma carta ao comissário europeu Pierre Moscovici a pedir que não fossem alocadas sanções a Portugal por défice excessivo em 2015, período em que era ministra das Finanças.

Até agora, o texto que será levado a votação ainda não foi conhecido. Já a decisão de Bruxelas chegará em julho, depois das eleições legislativas em Espanha e do referendo sobre a permanência na União Europeia do Reino Unido.