Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

António Esteves Martins sai da RTP em rutura com a Direção de Informação

  • 333

Correspondente da estação pública na capital belga permanece em Bruxelas onde passará a ser assessor de imprensa da Representação Permanente de Portugal junto da União Europeia, a REPER

António Esteves Martins vai ser o novo assessor de imprensa da Representação Permanente de Portugal junto da União Europeia. O correspondente da RTP em Bruxelas deixa a estação pública e deverá assumir as novas funções na capital belga a partir de julho.

A notícia foi confirmada ao Expresso pelo próprio jornalista, que esta terça-feira contactou o presidente do conselho de administração da RTP, Gonçalo Reis, para lhe comunicar a decisão de sair pelo próprio pé. Nesse contacto, Esteves Martins não escondeu que na base da sua decisão pesou o facto de sentir-se “persona non grata há mais de um ano” junto da Direção de Informação.

Episódios ocorridos durante os atentados terroristas em Bruxelas precipitaram este desfecho. Nesse 22 de março, dia em que as explosões no aeroporto internacional de Zaventem e numa estação de metro fizeram 35 mortos, o jornalista estava ausente da capital belga, em gozo de férias. Quando foi contactado por uma secretária da RTP, deu conta desse facto e pediu para que o subdiretor Vítor Gonçalves fosse avisado da sua indisponibilidade de fazer reportagem. Segundo Esteves Martins, Gonçalves terá ficado muito insatisfeito com a situação.

Ao tomar conhecimento da insatisfação sentida pelo subdiretor, Esteves Martins contactou de imediato o diretor de Informação Paulo Dentinho, queixando-se de “insinuações que não me parecem inocentes” e surgidas após diversos incidentes com os quais o jornalista sentiu que o seu “trabalho e dignidade profissional estavam a ser postos em causa.”

Ao Expresso, o ex-correspondente disse que avisou Dentinho que antes de tomar uma atitude aguardava pelos comentários deste. Perante a falta de resposta “até hoje”, entende que não lhe restava outra posição senão a de sair. Para esta tomada de decisão contribuiram também as declarações do provedor da RTP que num dos seus programas semanais em abril lamentou a ausência de reportagens dos atentados feitas pelo correspondente na capital belga.Para Esteves Martins, o provedor Jaime Fernandes “devia ter-se informado melhor”.

António Esteves Martins estava na RTP desde maio de 1991. Vai agora assessorar a maior representação diplomática portuguesa no estrangeiro, onde laboram 80 funcionários.