Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Morais Sarmento: Costa “não consegue ter uma consistência que lhe permita ir mais longe”

  • 333

Nuno Morais Sarmento

FOTO TIAGO MIRANDA

Social-democrata diz que o Programa Nacional de Reformas não representa nenhuma mudança “estrutural”, devido a uma quebra de confiança dos investidores estrangeiros

Até agora, António Costa ainda não fez nada de novo, diz o antigo ministro social-democrata Morais Sarmento, para quem o Governo do PS tem falta de “vontade” para mudar “estruturalmente” o país.

“Olhamos para aquele Programa Nacional de Reformas e qual é a mudança estrutural que o PS oferece ao país para os próximos quatro anos? Na minha opinião, nenhuma. Essa desconfiança para o futuro está na origem, seguramente, da quebra absoluta de investimento estrangeiro em Portugal, do congelamento no tempo de qualquer projeto mais significativo que envolvesse financiamento a Portugal”, disse Morais Sarmento no programa “Falar Claro” da Rádio Renascença”, na segunda-feira à noite.

Isto porque, sustenta, António Costa está a gerir o Estado “como ele está”. Ou seja, sem fazer mudanças. Para Morais Sarmento, o primeiro-ministro “não consegue ter uma consistência que lhe permita ir mais longe”, nem demonstra uma “vontade de mudar estruturalmente”.

Do outro lado da barricada no programa “Falar Claro” esteve o socialista Vitalino Canas. Este defendeu uma estratégia a favor da eficiência da atual estrutura da administração pública, como parte integrante da reforma proposta pelo PS.

“O que é mais eficaz, eficiente e, se calhar, mais rentável para as pessoas? Pegar numa estrutura que nós temos, já profissionalizada, capaz e pô-la a funcionar melhor ou é desestruturar isso tudo e entregar aos privados? Nós achamos que é pegar na estrutura que temos e pô-la a funcionar melhor", afirmou o antigo secretário de Estado socialista.