Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Barrigas de aluguer deverão ser aprovadas com a ajuda da direita

  • 333

O projeto lei do BE destinado a mulheres sem útero ou com alguma lesão é votado amanhã. Alguns deputados do PSD e CDS inclinados a aprovar. Passos Coelho é um deles

As contas estão renhidas para aprovar a gestação de substituição, vulgarmente conhecidas como barrigas de aluguer. O tema volta amanhã através de um projeto lei do BE que se destina apenas a mulheres sem útero ou com alguma lesão, deixando de fora casais de homens homossexuais.

O diploma foi vetado no grupo de trabalho da procriação medicamente assistida (PMA), que deu luz verde ao alargamento a todas as mulheres, pelo PSD, CDS e PCP. Porém, o BE conseguiu levá-lo a votação plenária e piscou o olho aos deputados social democratas que têm liberdade de voto.

O Expresso apurou que, nos últimos dias, um grupo de deputados do PSD se tem mostrado a favor. Serão cerca de 21. Segundo a Rádio Renascença, Pedro Passos Coelho é um deles. Tudo depende agora da bancada do PS que também liberdade de voto. Ou seja, a decisão está nas mãos de deputados mais conservadores do lado socialista. Na reunião do grupo parlamentar, no entanto, não houve muitas manifestações contra.

Durante dois anos, um grupo de trabalho elaborou um diploma sobre a gestação de substituição que reunia o consenso de PS e PSD. À última hora, social democratas retiraram o seu apoio ao diploma.

Se esta lei passar, abre-se novo tema faturante: o acesso de casais de homens à gestação de substituição, reivindicação da ILGA, conforme o Expresso já noticiou.