Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Passos volta a dizer que cortes nos colégios servem interesses corporativos e ideológicos

  • 333

José Carlos Carvalho

Líder do PSD considera que o Governo ainda está a tempo de recuar relativamente aos cortes nos financiamentos do ensino privado

“As famílias e os estudantes não têm nenhuma culpa que o Governo esteja a pensar noutro tipo de interesses, muito definidos do ponto de vista corporativo e ideológico”, afirmou Pedro Passos Coelho esta terça-feira à tarde, reiterando as suas críticas relativamente aos cortes no financiamento do ensino privado nos casos em que existe oferta suficiente nos estabelecimentos de ensino públicos.

Pelas contas do líder do PSD, o que está em causa é apenas cerca de 2% da verba que o Estado gasta com educação a este nível. Na sua perspetiva, o Governo está a abordar a questão dentro de uma divisão entre ensino privado e público que corresponde a uma “visão anacrónica e retrógrada do que é um serviço público”.

O ex-primeiro-ministro comparou a situação da educação com a existente na área da saúde, referindo que as instituições de ensino privado estão ao serviço de uma política pública, “contribuindo para melhorar a qualidade da educação”. “Muitas são escolas que não visam sequer o lucro, estão ligadas a instituições de solidariedade social”, afirmou.

Passos Coelho acusou o Governo de estar a contribuir para a aumentar a “imprevisibilidade” e “instabilidade” no sector, considerando que ainda está a tempo de recuar e de “fazer uma discussão racional sobre esta matéria”.