Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

“Os alemães querem que o caso português dê certo”

  • 333

DANIEL RODRIGUES

Ministro português dos Negócios Estrangeiros, que está de visita a Berlima, diz que os alemães pediram informação sobre a legislação e contratação coletiva em Portugal e sobre a “política em matéria de atração de investimento”

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmou esta quarta-feira que a Alemanha tem grande interesse na evolução da situação em Portugal e tem "genuína vontade" que o país retome o crescimento da economia e do emprego.

"Há uma genuína vontade dos alemães em que o caso português dê certo e que Portugal, depois de sair do resgate, complete o processo, não só cumprindo o programa de estabilidade, como também retome o crescimento da economia e do emprego", afirmou à agência Lusa o chefe da diplomacia portuguesa, que se encontra em Berlim para uma visita oficial.

O ministro Santos Silva iniciou a sua visita de 24 horas à Alemanha com um encontro com empresários alemães, organizado pela Federação das Indústrias Alemãs, alguns dos quais já com investimentos em Portugal.

"Há um grande interesse na evolução da situação portuguesa, há muitas perguntas sobre os compromissos portugueses em matéria de consolidação orçamental e em saber quais os planos do atual Governo", afirmou.

Segundo Augusto Santos Silva, os alemães pediram também informação sobre a legislação e contratação coletiva em Portugal e sobre a "política em matéria de atração de investimento".

Após os encontros com os empresários, o ministro reuniu-se com o seu homólogo, Frank-Walter Steinmeier, para analisar as relações bilaterais, a União Europeia e trocar informações sobre a Europa de Leste, Médio Oriente, América Latina e África subsaariana.

"O encontro basicamente teve três dimensões. A primeira foi de análise das relações bilaterais, designadamente no plano económico", disse o ministro, salientando que a Alemanha é o primeiro investidor industrial estrangeiro em Portugal e o terceiro cliente do comércio externo português.

Na reunião, segundo o ministro, foram também analisadas as "questões que se colocam à União Europeia, em particular o referendo britânico, e os refugiados".

O ministro, que regressa quinta-feira a Lisboa, teve também encontros com membros da Comissão de Assuntos Europeus do parlamento federal alemão e deu uma palestra na Universidade Livre de Berlim.