Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Francisco Assis: Marcelo encontrou “tom certo” para início de mandato

  • 333

Alberto Frias

Eurodeputado socialista elogia “mestria” do discurso do Presidente da República proferido esta quarta-feira em Estrasburgo

Num artigo de opinião publicado esta quinta-feira no “Público”, Francisco Assis deixa rasgados elogios a Marcelo Rebelo de Sousa. O eurodeputado socialista diz considerar que o discurso feito esta quarta-feira pelo Chefe de Estado no Parlamento Europeu foi bom tanto na forma, como no seu conteúdo, tendo merecido os aplausos da generalidade dos grupos políticos europeus.

“Uma coisa é certa: o discurso ontem proferido em Estrasburgo deixou bem claras as novas oportunidades e os novos limites da vida política portuguesa. Nesse sentido, merece inequívoco aplauso”, afirma Francisco Assis.

Na visão do eurodeputado socialista, o Presidente da República terá encontrado o “tom certo” para o início do seu mandato, o que ficou também patente na intenção manifestada por Marcelo perante os eurodeputados de manter a cooperação institucional.

“Marcelo Rebelo de Sousa apresentou-se como um europeísta convicto e confiante no sucesso de um projeto político, que nas suas horas mais brilhantes, enfrentou e derrotou a barbárie e o totalitarismo.(...) O Presidente teve o cuidado de deixar claro que não concebe como boa qualquer solução que desvalorize a nossa inclusão no núcleo central do projeto europeu”, escreve o eurodeputado.

O Chefe de Estado, salienta Assis, teve o cuidado de garantir aos eurodeputados a “natureza pró-europeísta” português e as condições de estabilidade do atual Governo. “Fê-lo com a subtileza devida, evitando uma formulação ostensiva que poderia ter o efeito de, paradoxalmente, penalizar a imagem do governo de António Costa.”

“Ao agir desta forma, Marcelo Rebelo de Sousa fornece uma garantia à Europa e estabelece um limite para Portugal”, acrescenta.

Sublinhando o facto de o Presidente ter elogiado o anterior Governo, que concluiu o programa de ajustamento, e a aposta no mercado interno como alavanca do crescimento pelo atual Executivo, Francisco Assis destaca a importância de um Chefe de Estado conciliador, que “ocupou o centro do país, seja num sentido ideológico, seja numa persepetiva social e política.”

“O país precisava deste tipo de voz alheia a qualquer rancor, despojada de proclamações sectárias, adversa a confrontações perigosas. Uma voz serena, mas ao mesmo tempo clara exigente”, conclui.