Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Chefe do Estado-Maior do Exército pediu a demissão

  • 333

Recente polémica sobre alunos homossexuais no Colégio Militar pode estar na origem da demissão mas não será o motivo principal

Helena Pereira

Helena Pereira

Editora de Política

O chefe do Estado-Maior do Exército, general Carlos Jerónimo, pediu a demissão esta tarde ao Presidente da República, avança o Diário de Notícias. O pedido terá ocorrido na sequência de uma entrevista do subdiretor do Colégio Militar em que admitiu que os alunos homossexuais são convidados a sair. O Presidente, Marcelo Rebelo de Sousa, já aceitou a demissão, "agradecendo os relevantes serviços prestados ao país". Foram invocados motivos de "ordem pessoal".

O ministro da Defesa, Azeredo Lopes, tinha pedido explicações ao Exército sobre o que se passava efetivamente no Colégio Militar. Em entrevista ao jornal Observador, o subdiretor António Grilo afirmou que, "como é lógico, a sexualidade é um tema aberto na sociedade e a homossexualidade é aceite legalmente. Podemos dizer que [haver esse tabu] é uma maneira de salvaguarda do são relacionamento entre eles no internato. Repare, eles não se cobrem para nada, não se escondem para nada, não têm armários fechados… para poderem viver como irmãos que são. E na salvaguarda desse relacionamento, é bom que não haja afetos”.

Mas o Expresso apurou que o caso do Colégio Militar não será o motivo principal que levou à decisão do general Carlos Jerónimo.