Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

CDS vai chamar Conselho de Finanças Públicas ao Parlamento

  • 333

Assunção Cristas desconfia que haja más noticias no Programa de Estabilidade e diz que essa é a razão por que o Governo não o apresenta em conjunto com o Programa Nacional de Reformas

O CDS quer que o Governo faça a discussão do Programa de Estabilidade (PE) a par da discussão sobre o Plano Nacional de Reformas (PNR). A líder do CDS, Assunção Cristas, diz estar "preocupada" e por isso vai chamar o Conselho Finanças Públicas (CFP) ao Parlamento para fazer um primeiro ponto de situação do PNR e vai questionar aquele órgão sobre "um conjunto de indicadores macroeconómicos" que já foram sinalizados não só pelo CFP, como pelo Banco de Portugal e FMI.

"Queremos um debate muito vivo onde vamos denunciar as omissões de várias matérias, como por exemplo o financiamento das empresas que tem pouca concretização e é exíguo nos conteúdos que lá tem", adianta Assunção Cristas, que critica ainda o facto desta reforma do estado ser "muito circunscrita a aspetos de simplificação". A líder do CDS, que assume estar preparada para "apresentar várias propostas" nos debates, sublinha que a reforma do sistema de pensões, uma das linhas de ação dos centristas, também "está omissa" no PNR.

O Governo apresentou na semana passada as linhas gerais do PNR e marcou até final do mês seis debates temáticos no Parlamento sobre os seis eixos desta estratégia (coesão social, capitalização de empresas, modernização do Estado, valorização do território, inovação e qualificações). Quanto ao PE, só o apresenta no fim do mês, sendo que haverá um debate conjunto dos dois documentos no dia 27.

No ano passado, o Governo de Passos Coelho apresentou os dois documentos ao mesmo tempo, sendo que os divulgou em Portugal ao mesmo tempo que os enviou para Bruxelas.

Assunção Cristas considera que a não apresentação em conjunto do PNR e do PE deve-se "à vontade de esconder o que aparece no PE", caso contrário, garante o Governo "teria tudo a ganhar". "Fico com receio que haja más noticias no PE, que projetem indicadores relevantes para a vida do dia a dia", afirma a líder do CDS, concluindo: "Não nos parece um exercício de total transparência politica".

Esta terça-feira começam na Assembleia da Republica os debates sobre o PNR.