Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo reinventa presidências abertas: “Portugal Próximo”

  • 333

José Carlos Carvalho

Marcelo já tem “presidências abertas”. Chamam-se “Portugal Próximo” e começam pelo interior

Marcelo Rebelo de Sousa já encontrou o seu modelo de presidências abertas. Chamam-se ‘Portugal Próximo’, vão dar especial atenção ao interior do país e começam com uma deslocação ao Alentejo, que cobrirá os distritos de Beja, Évora e Portalegre. O Presidente da República visitará vários concelhos, previsivelmente na segunda quinzena de abril. Seguir-se-ão as Beiras e Trás-os-Montes. Os custos da interioridade dão o guião ao novo Presidente.

O tom destas incursões pelo país não será nem o das cáusticas presidências abertas do segundo mandato de Mário Soares, nem o das voltas de Jorge Sampaio “contra a lamúria”, nem o dos ‘Roteiros’ de Cavaco Silva à procura do Portugal melhor. Marcelo volta à estrada apostado em fazer o que fez na campanha eleitoral: estar próximo das pessoas. Para já, distender continua a ser a sua palavra de ordem e não há coisa mais adequada a um primeiro mandato presidencial. Soares fê-lo. Se no segundo mandato as suas incursões eram autênticas armas de destruição para o Governo (de Cavaco), no primeiro as presidências abertas eram uma festa. Marcelo parece procurar um meio termo: próximo das pessoas mas sem dimensão de espetáculo. Como na campanha, começa pelas zonas mais carenciadas do país.

Antes, a 13 de abril, o Presidente visita Estrasburgo, a convite do presidente do Parlamento Europeu. Terá um jantar com os eurodeputados portugueses e fará um discurso no PE a puxar pela importância de Portugal na UE (uma pequena canelada nos países ricos?). Temas obrigatórios serão a problemática dos refugiados e a segurança pós-atentados. Em maio, Marcelo Rebelo de Sousa vai a Moçambique — Angola também está na agenda mas só deverá acontecer no próximo ano — e no 10 de junho estará em Paris para festejar o Dia de Portugal com cerca de mil emigrantes. Do programa consta um encontro com a seleção portuguesa de futebol, que na altura estará em França.