Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Telmo Correia: Orçamento assenta num “erro colossal”

  • 333

Nuno Botelho

Deputado centrista considera que fazer inversão de marcha quando o país estava no “caminho certo” é perigoso. “Continuem a cantar o ‘Grândola’, nós preferimos o hino nacional”, atirou

Telmo Correia considera que o Orçamento do Estado para este ano assenta num “erro colossal”, alegando que inverte a trajetória de responsabilidade e credibilidade dos últimos anos. “É uma mudança de rumo, sim (...) é aquilo a que os britânicos chamam de U turn, uma inversão de marcha, mas mudar radicalmente o sentido quando estávamos no caminho certo é um erro colossal”, declarou o deputado centrista.

Durante o debate final antes da votação do Orçamento doEstado para 2016, e falando num “Governo das esquerdas mais ou menos unidas”, Telmo defendeu que através das erratas ao documento ficou evidente a direção “errática” das políticas deste Executivo. “A credibilidade deu origem à falta de credibilidade, onde tínhamos realismo encontramos irrealismo e a responsabilidade deu lugar à irresponsabilidade”, observou.

O documento, frisou o deputado do CDS, será da inteira responsabilidade das esquerdas, inclusivamente pelo facto de o seu partido ter visto recusadas as principais propostas de alteração. “Parecia que sendo da geringonça, este OE não era no fundo de ninguém. Mas este é o vosso Orçamento, exclusivamente da responsabilidade do PS, BE, PCP e Verdes”, sustentou.

Acrescentou ainda que o OE2016 representa um “enorme” aumento de impostos indiretos, trazendo mais austeridade, e insistiu que o CDS continuará a defender outro caminho que não conduza o país para a recessão. “Continuem a cantar o 'Grândola', nós preferimos o hino nacional”.