Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Capoulas vê protestos de agricultores como “manifestação de apoio às suas posições”

  • 333

Capoulas Santos, ministro da Agricultura

Alberto Frias

Ministro da Agricultura encontra-se esta segunda-feira em Bruxelas para pedir novos apoios para o sector do leite e da suinicultura. Em Portugal, os produtores de leite e de carne prometem continuar os protestos

O ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, disse esta segunda-feira em Bruxelas que interpreta os protestos de produtores de leite e de carne em Portugal como "uma manifestação de apoio às posições" que leva à reunião de ministros da União Europeia.

À chegada ao Conselho de Agricultura, Capoulas Santos indicou que leva várias propostas, que preparou previamente com as organizações do setor, disse ter noção de que "não é uma tarefa fácil" a que terá pela frente, pois uma maioria dos Estados-membros da UE defende outras soluções, mas garantiu que vai bater-se "pela defesa dos agricultores" portugueses, como sempre fez, pelo que entende os protestos em curso em Portugal como uma posição de apoio às propostas que leva a Bruxelas.

"Eu interpreto também o seu protesto como uma manifestação de apoio às posições que eu estou aqui a tomar, já que as posições que estou aqui a tomar são para os defender. E o facto de os agricultores estarem a protestar em Portugal, como estão hoje aqui a manifestar-se em Bruxelas, como se manifestaram em Helsínquia, como se manifestaram em Paris, como estão a manifestar-se noutros pontos na Europa, demonstra aos governos e à Comissão Europeia que há um problema e que esse problema tem de ser resolvido ou temos de encontrar soluções para pelo menos o suavizar", disse.

"Portanto, eu interpreto a posição dos agricultores portugueses como uma posição de apoio às minhas posições, já que estou aqui a defende-los", reforçou, quando questionado sobre uma manifestação agendada para hoje em Portugal de produtores de leite e de carne, anunciada como "a maior alguma vez realizada pelo sector em Portugal".