Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

A reação a Cristas: Rui Moreira independente não renega apoios partidários

  • 333

FERNANDO VELUDO / LUSA

Nova líder do CDS disponibilizou-se para apoiar novamente nas próximas autárquicas o atual presidente da Câmara do Porto

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

O adjunto de Rui Moreira na Câmara do Porto avançou esta segunda-feira que Rui Moreira irá aceitar o “apoio de todos os partidos”, mas manterá o estatuto de independente na corrida às autárquicas de 2017. “Rui Moreira não será candidato por nenhum dos partidos que o apoiam. Será candidato independente e aceitará o apoio de todos os partidos que o queiram fazer. Isso em nada condicionará o seu programa”, refere à Lusa Nuno Santos.

O anúncio surge como reação à vontade de Assunção Cristas de propor a renovação do apoio a Rui Moreira, que em janeiro revelou que se iria recandidatar à liderança da autarquia portuense. Domingo, em Gondomar, no discurso de encerramento do 26º Congresso do CDS-PP, a nova líder do partido afirmou que se Rui Moreira decidir candidatar-se irá propor aos órgaõs do CDS a renovação do apoio à sua candidatura. “O CDS apoiou desde a primeira hora a candidatura independente de Rui Moreira e com ele temos governado a autarquia”, disse Assunção Cristas.

O autarca que derrotou o social-democrata Luís Filipe Menezes e o socialista Manuel Pizarro nas eleições de 2013 tem no seu executivo um vereador do CDS, Sampaio Pimentel, vereador da Fiscalização e Proteção Civil, embora o PS seja o partido com maior peso no arco da governação da Câmara do Porto. No acordo pós-eleitoral com Pizarro, o PS ficou com dois grandes pelouros na gestão municipal, o da Habitação e Ação Social, assumido pelo candidato que ficou em segundo lugar nas autárquicas, e o do Urbanismo, atribuído ao arquiteto Manuel Correia Fernandes.

Numa gestão ecuménica, Guilhermina Rego, ex-vereadora de Rui Rio que optou por se aliar à candidatura independente, assumiu o pelouro da Educação, Organização e Planeamento. Apesar de, após as eleições, Moreira ter sido namorado pelo PSD e PS para uma candidatura futura à Câmara do Porto, o autarca mostrou-se sempre imune a seduções partidárias. Em janeiro, em entrevista ao Porto Canal, afirmou que não abdicará do estatuto de independente, até porque não está interessado na política nacional.

“Não penso ir para Lisboa ou para outro sítio qualquer”, sustentou. Embora o PS ainda não tenha formalmente garantido o apoio a Moreira, Manuel Pizarro já anunciou que não se candidatará, alegando que “ninguém no Porto iria perceber que concorresse contra Rui Moreira” depois de quatro anos de coligação, num mandato em que a Câmara do Porto tem “cumprido as linhas gerais do programa eleitoral do PS”.

O apoio pós-eleitoral a Moreira foi contestado pela distrital do PS/Porto, liderada então por José Luís Carneiro, atual secretário de Estado das Comunidades, mas, com a passagem de testemunho há uma semana para Pizarro, Moreira contará, à partida, com o apoio da maior federação socialista do país.