Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Na visita ao Cerco Marcelo mostrou o seu lado hip hop. E levou para Belém uns sapatos oferecidos por Tino

  • 333

Rui Duarte Silva

Banho de multidão no bairro do Cerco. Marcelo ouviu e depois improvisou uma canção em ritmo hip hop. À despedida, o Presidente teve ainda encontro surpresa com Tino de Rans

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

Foi um Marcelo Rebelo de Sousa em versão hip hop que esta sexta-feita à tarde animou o bairro do Cerco, um dos mais deprimidos da cidade do Porto, que contrasta com a Invicta elegante e charmosa da Foz do Douro.

Uma multidão eufórica acolhia o Presidente da República no largo que funciona como ponto de encontro e sala de visitas do bairro. O largo já se designava dos Afetos, antes mesmo de Marcelo registar a patente dos afetos no exercício da política.

Uma simbiose perfeita, portanto. Marcelo foi pródigo na distribição de beijos, abraços e afetos pelas gentes do bairro. Das varandas apinhadas, as bandeiras portuguesas emergiam misturadas com a roupa a secar nos estendais. Entre os beijos e abraços, o Presidente acenava. O cerco ao novo inquilino de Belém era sublinhado pelos gritos alternados de "Cerco, Cerco" e "Marcelo, Marcelo".

Marcelo improvisa

Na música, Marcelo primeiro ouviu e depois improvisou. Em versão hip hop, claro. O grupo local Oupa!, a face visível de um programa de inclusão social sustentado pelo projeto Cultura em expansão, emocionou o Presidente e convocou as atenções de toda a comitiva.

Marcelo não se fez rogado e improvisou depois, sempre guiado pelos afetos. "Amigos, Amigos/ Eu vi o bairro e gostei/ Aqui no bairro do Cerco/ Nunca me perco".

Nem a falha momentânea de som afetou a performance nem o rtimo de Marcelo Rebelo de Sousa. A comunidade do bairro apreciava a simplicidade do novo Presidente, um "homem sem peneiras", como dizia um residente. Com dois mil habitantes, o Cerco foi o último ponto do roteiro portuense de Marcelo, marcando a vertente social da visita presidencial.

Os sapatos de Tino

Enquanto Marcelo visitava a creche e lar de idosos do Centro Social da Obra Diocesana de Promoção Social, uma outra figura atraía as atenções do bairro.

Vitorino Silva (Tino de Rans) surgiria depois da multidão dispersar, para entregar um convite e dois pares de sapatos a Marcelo. O convite é para Marcelo visitar a freguesia de Rans, a que Vitorino deu fama. Os pares de sapatos, fabricados por um industrial seu amigo no tamanho certo (41), por traduzirem simbolicamente o encontro entre a arte da calçada em que Tino trabalha e o calçado que Marcelo terá de usar "neste seu caminho agreste como Presidente da República".

  • Momento hip hop de Marcelo no bairro do Cerco

    Presidente da República foi recebido esta tarde por centenas de pessoas no bairro do Cerco, no Porto, com beijos, aplausos e pedidos da população ao som de hip hop. “Marcelo aumenta o rendimento mínimo” ou “quero uma casa” foram algumas das frases que se ouviram quando Marcelo Rebelo de Sousa chegou ao bairro, na zona oriental da cidade, acompanhado pelo presidente do município Rui Moreira. Na despedida, Marcelo brindou os moradores com um momento único: dirigiu-se ao populares a partir do palco e cantou alguns versos em versão hip hop, numa homenagem aos habitantes do Cerco