Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Cavaco condecora “dois grandes servidores do país”

  • 333

Cavaco Silva ladeado pelos dois galardoados, o tenente-general Joaquim Chito Rodrigues (à esq.) e o general José Araújo Pinheiro

INÁCIO ROSA / Lusa

Ogeneral José Araújo Pinheiro recebeu a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo e o tenente-general Joaquim Chito Rodrigues foi condecorado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis

O Presidente da República condecorou esta segunda-feira o antigo chefe do Estado-Maior da Força Aérea, general José Araújo Pinheiro, e o presidente da Liga dos Combatentes, tenente-general Joaquim Chito Rodrigues, elogiando estes "dois grandes militares, dois grandes servidores do país".

"São duas personalidades com uma carreira militar brilhante e que prestaram elevados serviços ao nosso país", afirmou Cavaco Silva na cerimónia em que condecorou os dois militares. José Araújo Pinheiro recebeu a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo e Joaquim Chito Rodrigues foi condecorado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis.

Referindo-se ao antigo chefe do Estado-Maior da Força Aérea, o Presidente lembrou os cinco anos em que exerceu funções "com grande competência e eficácia", "num período de fortes restrições orçamentais". "Garantiu a operacionalidade da Força Aérea, cumprindo todas as missões internas que lhe foram atribuídas, assim como todos os compromissos internacionais. Exerceu um comando de proximidade, pensando muito nas pessoas e dessa forma garantindo a coesão, a disciplina nas forças sobre o seu comando", sublinhou.

Sobre o presidente da Liga dos Combatentes, Cavaco recordou a sua "carreira militar brilhante" e o "entusiasmo e energia" que tem dedicado àquela instituição, "desempenhando um papel notável no apoio aos combatentes mais carenciados".

"Tem-se empenhado fortemente na defesa da honra, da memória daqueles que sofreram no corpo e na alma o cumprimento do dever ao serviço da pátria", vincou.

Depois da imposição da insígnias, o general José Araújo Pinheiro reconheceu terem existido alguns "momentos difíceis" ao longo dos últimos cinco anos, mas que sempre foram ultrapassados com "mais ou menos dificuldade", graças "ao esforço, dedicação, espirito de missão e sentido de serviço dos militares e civil da Força Aérea". "São esses que no dia a dia fazem acontecer as missões da Força Aérea", disse.

O presidente da Liga dos Combatentes congratulou-se igualmente com a homenagem, que reconhece um trabalho que está "para além do dever", agradecendo ao Presidente da República a atenção e interesse sempre demonstrado em relação aos antigos combatentes.