Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

PSD acusa BE de “radicalismo” devido aos cartazes

  • 333

Luís Barra

O deputado do PSD Fernando Negrão lamenta que os cartazes do BE constituam um “desrespeito pelas crenças religiosas” e por “muitos milhares de portuguesas que professam essas crenças”

O PSD acusou esta sexta-feira o BE de "radicalismo" ao usar cartazes "lamentáveis" com a imagem de Jesus Cristo numa campanha sobre adoção por casais homossexuais, considerando que o partido "nunca teve em conta o superior interesse da criança" nesta questão.

O BE lançou esta sexta-feira uma campanha sobre a adoção por casais do mesmo sexo, que foi recentemente confirmada no parlamento depois do veto do Presidente da República, da qual faz parte um cartaz com a palavra "Igualdade" e um suporte que está a circular na internet e nas redes sociais com a imagem de Jesus Cristo e se lê "Jesus também tinha 2 pais" e que já mereceu duras críticas da Conferência Episcopal e do CDS.

"Sem menosprezar o princípio da liberdade de expressão estes cartazes são lamentáveis pelo que representam o desrespeito pelas crenças religiosas e pelos muitos milhares de portuguesas que professam essas crenças", disse o deputado do PSD Fernando Negrão à agência Lusa, tendo ainda acusado o BE de "radicalismo".

Na opinião do social-democrata, numa altura em que Portugal precisa de tudo menos de radicalismo, o "Bloco de Esquerda quer transformar a vida política" nisso mesmo.

"Os cartazes provam que nestas questões fraturantes o que esteve em causa sempre foi o predomínio do interesse das causas dos casais homossexuais - que são legítimas obviamente -, mas em detrimento daquilo que era o fundamental que é o superior interesse da criança. O Bloco de Esquerda nunca teve em conta o superior interesse da criança nessas questões", criticou ainda.
Já depois das críticas, a deputada do BE Sandra Cunha defendeu hoje que esta campanha não "teve qualquer caráter ofensivo", tendo sido usado o humor para dar visibilidade ao tema.

"Eu sou adepto de usar o humor na política, acho que é saudável, mas o humor na política não pode faltar ao respeito às crenças e às convicções dos portugueses. E este cartaz falta ao respeito falta ao respeito às crenças e às convicções de milhares de portugueses", respondeu Fernando Negrão quando questionado sobre esta explicação dos bloquistas.

Interrogado sobre se o BE deveria retirar estas imagens dos suportes na internet onde estão a ser divulgadas, o deputado do PSD escusou-se a opinar: "isso é com o Bloco".

"Não se pretende de nenhuma forma ofender nem teve qualquer caráter ofensivo. O BE respeita e tem o maior respeito por todas as convicções religiosas e estamos certos que temos uma grande maioria de crentes e de não crentes que estarão connosco por estas famílias e por esta diversidade", disse a deputada do BE.

O porta-voz da Conferência Episcopal, Manuel Barbosa, considerou esta sexta-feira de manhã "uma afronta aos crentes" o uso de uma imagem de Jesus Cristo numa campanha do Bloco de Esquerda em defesa da adoção por casais homossexuais.
Já o CDS reagiu ao início da tarde, tendo o deputado Pedro Mota Soares representando uma "ofensa gratuita à sensibilidade de muitos portugueses".

  • Jesus é para aqui chamado?

    Cartazes do Bloco de Esquerda para celebrar a aprovação da lei da adoção gay somaram críticas de políticos e católicos