Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

“Este OE beneficia quem não tem carro, quem não tem conta no banco, quem não tem filhos, quem não usa o multibanco”

  • 333

Marcos Borga

CDS muito crítico quanto às opções políticas do Orçamento do Estado do Governo socialista

Para o líder parlamentar do CDS, é muito simples: o Orçamento do Estado que aí vem só é bom para o “homem socialista”. E quem é este homem?

“[O Orçamento] beneficia quem não tem carro, quem não tem conta no banco, quem não tem filhos, quem não usa o multibanco e quem tem uma horta ao pé de casa”, explicou Nuno Magalhães, que precisou que esta era a descrição do “homem socialista”, durante o debate parlamentar sobre o Orçamento, esta segunda-feira.

As críticas do deputado centrista sustentam-se num dos argumentos principais da direita para contestar o Orçamento: o que Costa dá com uma mão (reposição de rendimentos, como a sobretaxa) tira com a outra (aumento dos impostos sobre o tabaco, os combustíveis, o crédito, etc).

O primeiro-ministro respondeu: disse que se tratou de um “escolha” que “protege os rendimentos e da classe média”. “Escolhemos aumentar o imposto sobre veículos, sobre o tabaco e sobre o crédito ao consumo. O seu Governo também escolheu: escolheu aumentar o IRS e manter a sobretaxa e cortar mais de €600 milhões aos pensionistas. Sabe por que razão preferiu cortar no rendimento das famílias e não nos impostos especiais? Por uma causa ideológica”, defendeu António Costa.

“Este é o meu orçamento, que resulta dos compromissos que assumi com os portugueses, com o PCP, o Bloco e o PEV e com os compromissos que assumi com comissão europeia”, reafirmou o primeiro-ministro.

  • Em direto: o OE das erratas (para a direita) e do fim da austeridade (para Costa)

    Parlamento discute o Orçamento do Estado que uniu a esquerda e que indigna a direita. Costa voltou a sustentar que o seu primeiro OE vira “a página da austeridade” e que é o primeiro “em muitos anos que cumpre a Constituição”, a direita contesta: diz que é um OE populista que tropeça no rigor - foram várias as referências da direita à errata e à errata à errata que o Governo apresentou do OE. “Para um Governo errático temos um Orçamento de erratas”, diz o PSD. Contamos tudo ao minuto: vídeo SIC Notícias, acompanhamento Parlamento Global, notícias Expresso

  • Costa fechou OE com Catarina e Jerónimo

    “Não há problema nenhum” com o Orçamento do Estado para 2016, garante o primeiro-ministro. Leia este artigo publicado originalmente na edição do Expresso deste sábado