Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Bloco de Esquerda vai viabilizar orçamento na generalidade

  • 333

Catarina Martins, porta-voz do Bloco de Esquerda, esteve este domingo em Torres Novas na sessão "O que traz o orçamento? O que quer o Bloco?"

PAULO CUNHA / LUSA

Catarina Martins disse que o BE “não falha” os seus compromissos, pelo que irá votar a favor. Contudo, sublinhou que este Orçamento do Estado “não é o orçamento do Bloco de Esquerda” mas do Governo do Partido Socialista. O debate do OE2016 começa esta segunda-feira

A porta-voz do Bloco (BE) de Esquerda disse este domingo, em Torres Novas, que o partido vai votar favoravelmente o Orçamento do Estado para 2016 (OE2016) na generalidade, pois "não falha os compromissos" que assume.

Declarando que o OE2016 que vai ser debatido e votado na generalidade na segunda e terça-feira no parlamento "não é o orçamento do Bloco de Esquerda" mas do Governo do Partido Socialista, Catarina Martins assegurou que, tendo resultado de um "percurso" de que o partido fez parte, este "não falha" aos seus compromissos.

"Na sua generalidade, o Orçamento do Estado vai de encontro ao que foram as negociações feitas com o Bloco de Esquerda e permite a recuperação de rendimentos pela primeira vez em cinco anos a quem trabalha ou trabalhou toda a vida em Portugal e, portanto, o BE vai fazer este debate não contra ao orçamento, mas para viabilizar o orçamento", declarou.

Numa sessão pública sobre 'O que traz o orçamento, o que quer o Bloco?', realizada na Biblioteca Municipal de Torres Novas, a dirigente do BE afirmou que o partido será "extraordinariamente exigente para que na especialidade se dê mais resposta aonde ela está a faltar" e se prossiga um caminho de recuperação de rendimentos, de soberania e de emprego.

No passado sábado também já o partido Os Verdes tinha dado a conhecer que ia votar a favor do Orçamento do Estado.

O PCP ainda não disse como vai votar. Jerónimo de Sousa disse no sábado que as soluções da proposta orçamental para 2016 "ainda são limitadas", apontando algumas "limitações e insuficiências" ao documento e sublinhando o mesmo que Catarina Martins disse este domingo em relação ao BE: "Este não é o orçamento do PCP."