Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Costa prossegue explicações multimédia: “O que é reposto é muitíssimo mais do que é cobrado”

  • 333

São o terceiro e quarto vídeos de uma série sobre o Orçamento do Estado. Num António Costa sustenta que não dá com uma mão e tira com a outra, no outro explica porque “todos as crianças valem o mesmo” para o Governo. Uma nota: o acordo ortográfico ainda não está afinado nos vídeos

O primeiro-ministro divulgou esta segunda-feira mais dois vídeos no portal do Governo, no Twitter e no Youtube sobre o Orçamento para 2016. Sustenta em ambos que há melhorias este ano nas medidas tomadas para as famílias.

Entre domingo passado e esta segunda-feira, António Costa já divulgou quatro vídeos em que pretende explicar "pessoalmente" a proposta de Orçamento do Estado para 2016 - e até ao final da semana, segundo fonte do executivo, novos vídeos serão colocados nas referidas plataformas.

Num dos vídeos desta segunda-feira, António Costa reitera uma tese já por si defendida na quarta-feira passada, então na qualidade de secretário-geral do PS, quando advogou que as famílias terão em 2016 mais 700 milhões de euros em rendimentos do que em 2015, rejeitando a ideia de que o atual Governo dê com uma mão o que tira com a outra. O vídeo não cumpre totalmente o acordo ortográfico: há “actualização” com o “C” que o acordo renegou, mas também há “proteção” como mandam as regras novas.

No quarto vídeo da série - o segundo desta segunda-feira -, António Costa sustenta que as mudanças no coeficiente familiar agora introduzidas vão permitir abranger 80% das famílias, enquanto a fórmula anterior, do executivo PSD/CDS-PP, excluía 70% das famílias e beneficiava sobretudo os agregados com mais elevados rendimentos.