Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

“Analisar o caso Banif a partir deste Governo” não é “forma mais isenta de abordar esta matéria”

  • 333

Luís Barra

A deputada bloquista Mariana Mortágua recua até dezembro de 2012 para questionar o governador do Banco de Portugal se já nessa altura existiam alternativas ao Banif e uma posição diferente por parte das instituições europeias ou da troika

“Não me parece que começar a analisar este caso a partir do Governo que mudou seja a forma mais isenta de abordar esta matéria”, disse esta sexta-feira a deputada do Bloco de Esquerda Mariana Mortágua na comissão parlamentar de Orçamento e Finanças, à qual se deslocou o governador do Banco de Portugal.

A deputada bloquista recua até dezembro de 2012 para questionar Carlos Costa se já nessa altura existiam alternativas ao Banif e uma posição diferente por parte das instituições europeias ou da troika. “Importa perceber se já nessa altura havia alternativas, se houve discussão com a DG COM, BCE ou troika”, sublinha.

Mariana Mortágua realça que entre janeiro de 2013 e setembro de 2015 “é demasiado tempo sem que nada tenha sido feito para alterar a situação do Banif.” E pede as datas exatas dos planos de reestruturação do Banif a Bruxelas.

“Quem supervisionava estes planos, qual a responsabilidade do Ministério das Finanças nestes planos? Porque nada foi feito para evitar o chumbo destes planos?”