Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Grã-Cruz da Ordem da Liberdade para Guterres

  • 333

DENIS BALIBOUSE / Reuters

Cavaco Silva atribui ao antigo alto comissário da ONU para os refugiados uma distinção que premeia serviços relevantes prestados em defesa dos valores da civilização, em prol da dignificação da pessoa humana e à causa da liberdade

O ex-primeiro-ministro António Guterres vai ser condecorado pelo Presidente da República com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade, um mês depois de ter cessado funções como alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados.

Segundo fonte da Presidência da República, a cerimónia de agraciamento de António Guterres irá realizar-se na próxima terça-feira, 2 de fevereiro, no Palácio de Belém, em Lisboa.

A Ordem da Liberdade destina-se a distinguir serviços relevantes prestados em defesa dos valores da civilização, em prol da dignificação da pessoa humana e à causa da liberdade.

António Guterres foi alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados durante dez anos, tendo terminado o mandato em final de 2015.

Na semana passada, o Governo anunciou que vai apresentar a candidatura de António Guterres a secretário-geral das Nações Unidas, sublinhando que se trata de "um imperativo".

"É nossa firme convicção que o engenheiro António Guterres é a personalidade com melhores condições para exercer esse mandato, correspondendo à necessidade de enfrentar os desafios que hoje se colocam à comunidade internacional", lê-se numa nota divulgada pelo gabinete do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

O Governo considera que a "longa experiência política" e "a forma exemplar" como o antigo primeiro-ministro socialista exerceu altos cargos internacionais "demonstram cabalmente os méritos desta candidatura, que o Governo entende constituir um imperativo, num tempo em que, mais do que em qualquer outro, o mundo se tem de mobilizar em torno da paz e do desenvolvimento".

Depois de cessar funções como primeiro-ministro, António Guterres foi condecorado pelo então Presidente da República Jorge Sampaio com a Grã-Cruz da Ordem de Cristo.