Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Vices de Passos obrigados a partilhar carro

  • 333

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Com Passos no PSD em full-time, Marco António Costa perdeu poder. O gabinete voltou para o líder. Os carros são à vez

A saída de Passos Coelho do governo e o seu regresso ao PSD em full-time mexeu com o dia a dia na sede nacional. Marco António Costa, o vice-presidente do partido que Passos escolheu para coordenador da Comissão Permanente enquanto esteve no governo, perdeu esse estatuto. Bem como o gabinete, que embora sempre tenha sido o do líder, foi ocupado por ele durante dois anos.

Em 2011, quando Passos ganhou as eleições e passou a ter residência oficial em São Bento, o seu gabinete na São Caetano à Lapa foi ocupado por Jorge Moreira da Silva, o primeiro vice-presidente do partido. Quando Passos o chamou para ministro do Ambiente, manteve-o como primeiro vice no PSD mas encarregou Marco António Costa (que não foi para o Governo) de coordenar a direção e ser porta-voz.

Com a vitória nas legislativas, a única dúvida era se Marco António subiria ao Executivo. Mas com a reviravolta que António Costa deu aos resultados tudo mudou e foi preciso rever a logística na São Caetano. Passos voltou para o seu gabinete (passará algum tempo no Parlamento mas a sua nova residência oficial é no partido). E Marco António deixará de coordenar a Comissão Permanente, tarefa que será assumida pelo próprio líder.

Assim, a regra é a da partilha de gabinete e carros disponíveis pelos vários vice-presidentes. A maioria deles dispensa. Carlos Carreiras preside à Câmara de Cascais, Pedro Pinto ao Conselho de Administração do Parlamento e José Matos Correia é vice-presidente do mesmo, o que lhes garante carro e motorista. Teresa Leal Coelho, deputada, opta pelo seu carro pessoal. E Jorge Moreira da Silva, idem, exceto se tiver de visitar estruturas do partido, coisa que tenderá a acontecer mais, agora que está livre do governo.

Quanto a gabinetes, o vice mais residente na sede continua a ser Marco António (ou não fosse porta-voz e homem-forte do aparelho). Mas também não é líquido que não vá ter mais vezes a companhia de Moreira da Silva. Este é um dos nomes na lista de potenciais candidatos à sucessão. E quem não aparece...