Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Um “homem de causas”. Como Cavaco recorda Almeida Santos

  • 333

Em 2008, Cavaco Silva distinguiu Almeida Santos com a Grã-Cruz da Ordem de Cristo, durante as comemorações do 10 de Junho em Viana do Castelo

Rui Duarte Silva

Presidente da República lembra também a forma como presidente honorário do PS se manteve “sempre fiel ao ideário e aos princípios que marcaram a sua trajetória de vida”, na qual exerceu as mais altas funções do Estado, com destaque para a presidência da Assembleia da República

O Presidente da República recordou Almeida Santos como um "homem de causas" e "causídico da liberdade" e sublinhou a forma como o ex-presidente do parlamento foi fiel ao ideário que marcou a sua trajetória de vida.

"Homem de causas, causídico da liberdade, António de Almeida Santos distinguiu-se pelas suas qualidades como jurista, sendo autor de vários diplomas estruturantes do nosso regime democrático", lê-se numa mensagem enviada pelo chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, à família do presidente honorário do PS.

Na mensagem, divulgada no site na Presidência da República, Cavaco Silva lembra também a forma como Almeida Santos se manteve "sempre fiel ao ideário e aos princípios que marcaram a sua trajetória de vida", na qual exerceu as mais altas funções do Estado, com destaque para a presidência da Assembleia da República.

"Cidadão exemplar pelo seu empenho na defesa do modelo democrático europeu, Almeida Santos deixa, em todos os que tiveram o privilégio de o conhecer, a memória afetuosa da cordialidade e da afabilidade de trato, da sua admirável cultura humanista e dos seus invulgares dotes de orador e cultor da Língua Portuguesa", é ainda referido na missiva.

O ex-presidente da Assembleia da República e do PS morreu nesta segunda-feira em sua casa, em Oeiras, com 89 anos, pouco antes da meia-noite, depois de se ter sentido mal após o jantar, disse fonte da família à agência Lusa.

O corpo de António Almeida Santos vai estar esta terça-feira, a partir das 17h, em câmara ardente na Basílica da Estrela, em Lisboa, saindo nesta quarta-feira pelas 13h para o cemitério do Alto de São João.

Segundo fonte da família, o corpo será cremado esta quarta-feira pelas 14h, não havendo lugar a cerimónias religiosas, respeitando assim a vontade do antigo ministro e presidente da Assembleia da República.