Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Portas já anda pelo mundo a receber comendas. Esta terça foi em Madrid

  • 333

Foto D.R.

Ex-vice-primeiro-ministro foi condecorado em Madrid pelo governo espanhol devido à sua ação nos Negócios Estrangeiros

Filipe Santos Costa

Filipe Santos Costa

Jornalista da secção Política

Paulo Portas recebeu esta terça-feira de manhã, em Madrid, a Grã Cruz da Ordem de Mérito de Espanha. A condecoração, atribuída pelo Rei de Espanha, foi entregue pelo chefe da diplomacia de Madrid, Jose Manuel Margallo, e é o reconhecimento pelo trabalho de Portas enquanto foi ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, entre 2011 e 2013.

Segundo fonte do gabinete de Paulo Portas, a atribuição da condecoração já tinha sido decidida no outono de 2013, pouco depois de do ministro ter deixado o Palácio das Necessidades para ocupar as funções de vice-primeiro-ministro, na sequência da crise da sua demissão.

Na cerimónia em Madrid estiveram presentes vários membros do governo de Mariano Rajoy, que, após as eleições legislativas, vive circunstâncias parecidas com o chamado "caso português": o governo de direita venceu as eleições, mas sem uma maioria absoluta que garanta a continuação em funções. Porém, no caso espanhol, o acordo das esquerdas, tentado pelo líder socialista Pedro Sanchéz, revelou-se bastante mais difícil do que o que foi conseguido em Lisboa por António Costa e parece, neste momento, inviável.

Foi neste cenário de prolongamento da crise de formação do governo espanhol que Madrid homenageou Portas, uma das vítimas do acordo das esquerdas em Portugal. José Manuel Margallo classificou o ainda líder do CDS como "alguém que em circunstâncias excepcionais desempenhou um mandato excelente ao serviço do seu país".

Portas sublinha sucesso diplomático e económico

Em declarações ao Expresso, já depois de ter sido fotografado com a condecoração ao peito, Paulo Portas salientou os resultados deixados pelo governo da coligação no relacionamento com o parceiro ibérico. "As exportações de Portugal para Espanha cresceram sem parar e representam cerca de 25% do total do nosso sector exportador. A diplomacia económica - em aliança com as empresas - fez a sua parte", diz o antigo governante sobre a vertente económica desta herança.

Sobre o trabalho diplomático, Portas lembra que foi "ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros num tempo de ajustamento muito difícil, tanto em Portugal como em Espanha. Melhorar a imagem externa de Portugal e demonstrar ao mundo relevante que Portugal seria capaz de superar o resgate foi a primeira das missões, desde logo dizê-lo,mostrá-lo e repeti-lo em Espanha foi importante. Tornou-se credível e deu frutos", conclui.

Qualquer que seja o futuro de Portas e das relações bilaterais, a Grã Cruz da Ordem de Mérito ninguém tira a este descendente de galegos pela via paterna.