Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Câmara de Lisboa investe 10 milhões de euros em obras de pavimentação na cidade

  • 333

Atualmente são 64 as obras concluídas ou em curso no âmbito do plano de pavimentação da cidade, lançado há seis meses. Para 2016 estimam-se mais 160 obras, o que corresponde a um investimento que deverá rondar os 16 milhões de euros

A Câmara de Lisboa informou esta segunda-feira que existem 64 obras concluídas ou em curso no âmbito do plano de pavimentação da cidade, lançado há seis meses, o que representa um investimento de 10 milhões de euros.

Anunciado em julho de 2015, o projeto "Pavimentar Lisboa" visa "atingir uma das principais queixas dos munícipes, que é o estado das ruas e dos pavimentos" e realizar "um investimento sem precedentes" nesta área, segundo o presidente do município, Fernando Medina (PS).

Desde que foi lançado o plano, existem 64 obras em curso ou concluídas avaliadas em 10 milhões de euros. Este número reflete parte das intervenções previstas para o ano passado (48) e uma fatia das obras que foram acrescentadas ao programa inicial (41), divulgou o autarca, que falava em conferência de imprensa nos Paços do Concelho.

Fernando Medina explicou que algumas obras previstas não foram concretizadas por diferentes razões, como por questões de calendário, "por se ter entendido que não se deveriam conjugar essas obras em simultâneo [...] para não perturbar a circulação" automóvel, e devido a "alterações de projeto de última hora", tornando mais complexa uma intervenção simples.

"Fazemos com estas intervenções as intervenções que, verdadeiramente, são necessárias fazer nos vários arruamentos. Das intervenções mais simples, que são as repavimentações, às intervenções de reconstrução, mantendo o mesmo reperfilamento das ruas, às intervenções que implicam uma alteração significativa do perfil dessas ruas", passando pelas "intervenções ainda mais de fundo, que implicam alterações no sistema de drenagem e saneamento", sintetizou.

A título de exemplo, indicou que a Rua de Alcântara é das intervenções "mais complexas" em curso, porque exige um reperfilamento da rua e a substituição do saneamento e drenagem, além da pavimentação.

Para este ano, estimam-se 160 obras, num investimento de 16 milhões de euros.

Apesar de haver um reforço face ao número de arruamentos, que era de 150, Fernando Medina apontou que a autarquia mantém uma previsão de investimento total "na casa dos 26/27 milhões de euros no âmbito deste programa".

"A minha expectativa é que ele [o investimento] se venha a alargar [...] ao longo do ano de 2017", disse.

O autarca ressalvou que algumas obras não têm orçamentação própria porque são feitas ao abrigo de outros projetos da Câmara de Lisboa, como o programa "Uma praça em cada bairro", razão pela qual não entram nestas contas.

Questionado pela Lusa sobre o facto de a autarquia ter recorrido a empréstimos para financiar este plano, Fernando Medina garantiu que a câmara está numa "situação muito confortável e particularmente positiva", situação que obriga a fazer uma "gestão das fontes de financiamento".

"Pedirmos empréstimos, usarmos capital alheio, para financiar [...] investimentos de longo prazo é uma boa política", considerou, assegurando que o município tinha fundos para realizar estas obras sem acesso ao crédito.

Esta foi a primeira conferência de imprensa sobre o plano desde a sua divulgação, mas o presidente da autarquia lisboeta garantiu que as "prestações de contas" vão passar a ser trimestrais, com vista a informar a população de "como estão a andar as coisas".