Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Paulo Portas deverá dedicar-se à vida empresarial

  • 333

O líder do CDS anunciou esta segunda-feira que não se vai recandidatar à liderança do CDS

FOTO JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Depois da hora da despedida, sucedem-se as teorias sobre o próximo passo de Portas. O "DN" garante que o plano do centrista passa por gerir projetos empresariais na área editorial

Desde que Paulo Portas anunciou que não se vai recandidatar à liderança do CDS, nesta segunda-feira, as teorias sobre o caminho que o centrista deverá seguir têm-se multiplicado. No entanto, a edição desta quarta-feira do “Diário de Notícias” garante que Portas vai agora dedicar-se à gestão de projetos empresariais.

De acordo com o matutino, Paulo Portas deixa de ser a figura principal do partido que liderou durante dezasseis anos para se dedicar a projetos empresariais, nomeadamente da área editorial. O mesmo jornal adianta que o centrista deverá também dedicar os próximos tempos à gestão dos bens da família.

Outras hipóteses são o ensino universitário ou o comentário político em televisão, uma vez que o espaço deixado por Marcelo Rebelo de Sousa na TVI continua por ocupar.

Assunção Cristas é a favorita de Portas

Assim que Portas anunciou a sua retirada da liderança partidária, sucederam-se as apostas sobre a pessoa que o vai suceder. Os nomes mais indicados foram os de Assunção Cristas, Nuno Melo, Pedro Mota Soares e João Almeida, mas este último já declarou que se retira da corrida.

O DN avança ainda, citando fonte do partido centrista, que se por um lado o favorito do partido é Nuno Melo, por estar na Assembleia da República, por outro lado a preferida de Portas é Assunção Cristas. Recorde-se que Paulo Portas elencou, entre as qualidades que prefere ver no seu sucessor, a experiência governativa - uma característica que falta a Nuno Melo e que pode beneficiar a única mulher na corrida à liderança do CDS.