Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Sampaio da Nóvoa fala sobre “degradação do SNS”: “Houve muita gente que se calou”

  • 333

André Kosters/ Lusa

Em entrevista à TVI, Sampaio da Nóvoa criticou "quem, comentário após comentário, aqui [na TVI], afirmou que não havia alternativas" à "degradação" do Sistema Nacional de Saúde

Helena Bento

Jornalista

Em entrevista à TVI, este sábado à noite, o candidato presidencial Sampaio da Nóvoa afirmou que a responsabilidade de casos como o da morte do jovem David Duarte, no Hospital de São José, "tem de ser atribuída ao governo anterior, por [ser ele o culpado de] grande parte do que foram os processos de degradação do Serviço Nacional de Saúde".

Sampaio da Nóvoa disse que tanto ele como outras pessoas "foram alertando ao longo dos últimos anos para a degradação dos serviços públicos" - tais como a escola pública e o Sistema Nacional de Saúde - mas que ao longo desses mesmos anos houve "muita gente que se calou". "Agora é fácil ter atos e gestos de solidariedade, depois de não se ter lutado na altura devida", afirmou o ex-reitor da Universidade de Lisboa. "[Houve] candidatos presidenciais e até mesmo aqui [na TVI] quem, comentário após comentário, afirmasse que não havia alternativas", acrescentou.

Referindo pela primeira vez o nome de Marcelo Rebelo de Sousa, Sampaio da Nóvoa disse que ele "é o candidato recomendado por Passos Coelho e Paulo Portas", mas que, ultimamente, "tem andado a jogar ao esconde-esconde". Apesar de reconhecer que é difícil para um candidato independente construir uma candidatura presidencial, o ex-reitor da Universidade de Lisboa mostrou-se confiante e disse que tem assistido a uma “mobilização de pessoas independentes de partidos pelo país inteiro". E se a sua candidatura à Presidência da República até chega a "provocar algumas reações e mal-estar" em algumas pessoas, então é porque ele, Sampaio da Nóvoa, está "no caminho certo".