Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Morte no Hospital de São José: PCP chama ministro da Saúde a audiência urgente

  • 333

Comunistas querem ouvir Adalberto Fernandes e os três gestores hospitalares que se demitiram terça-feira a propósito do caso da morte de um homem de 29 anos no hospital de São José por falta de equipa especializada ao fim de semana. Exigem ainda um levantamento das consequências que os cortes feitos no Sistema Nacional de Saúde tiveram na prestação de cuidados de saúde dos utentes

A bancada parlamentar do PCP apresentou, esta quarta-feira, ao presidente da comissão de Saúde um pedido de audição urgente do ministro da Saúde, Adalberto Fernandes, assim como de Cunha Ribeiro, o demissionário presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa, e dos também demissionários presidentes dos conselhos de administração dos centros hospital de Lisboa Central e Lisboa Norte, respetivamente Teresa Sustelo e Neves Martins.

Em causa para os comunistas está a morte de David Duarte, um jovem adulto que deu entrada no hospital de São José na passada sexta-feira e que "necessitava de uma intervenção da área da neurocirugia" e "acabou por não ser intervencionado porque a equipa especializada neste tipo de intervenção, ao invés de estar ao serviço no hospital, como as boas práticas clínicas assim o exigiram, encontrava-se em situação de prevenção".

O PCP regista as demissões apresentadas pelos gestores hospitalares responsáveis, assim como pelo presidente da ARS de Lisboa, na sequência deste caso, mas sublinha que a "situação não se desliga do desinvestimento no Serviço Nacional de Saúde" e na "retracção da sua capacidade de resposta". Em pedido urgente, requer a presença de todos estes responsáveis, assim como do ministro da Saúde para um esclarecimento cabal do sucedido perante os deputados da comissão de Saúde.

Em paralelo, os comunistas apresentaram ainda um projeto de resolução que recomenda ao Governo que promova o levantamento exaustivo dos cortes efectuados nos últimos quatro anos no SNS. Segundo o PCP, a morte de David Duarte "põe a nu o quão demagógico e propagandístico foi o discurso do anterior governo sobre a robustez do Serviço Nacional de Saúde e do perfeito funcionamento do mesmo".

Se o projecto do PCP for aprovado, o Parlamento deverá requerer ao Governo que "proceda à identificação, em todas as áreas, das consequências das políticas de desinvestimento público e de sucessivos cortes orçamentais" no funcionamento dos hospitais e dos serviços publicos de saúde.

As iniciativas comunistas só deverão ser apreciadas e discutidas depois da reabertura dos trabalhos parlamentares, prevista para 5 de janeiro.

  • Carta da namorada do jovem que morreu por falta de médico ao fim de semana

    David Duarte, 29 anos, perdeu a vida na madrugada de 13 para 14 de dezembro (de domingo para segunda-feira) no Hospital de São José, em Lisboa, porque a equipa médica que o poderia salvar recusa trabalhar ao fim de semana pelo valor que o Estado paga. A namorada de David Duarte, Elodie Almeida, de 25 anos, estava com ele quando surgiram os primeiros sinais. Colocou em palavras escritas aquilo que não conseguiu contar ao Expresso de viva voz. É um testemunho raro