Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marisa Matias acusa Passos e Cavaco no caso Banif

  • 333

NUNO VEIGA/ Lusa

Candidata a Belém acusa o Executivo de Passos Coelho de “enterrar 1.100 milhões de euros dos contribuintes”. E apontou o dedo também a Cavaco Silva: “O que fez foi pura e simplesmente encobrir a incompetência e passar responsabilidades”

A candidata presidencial Marisa Matias afirmou hoje que o anterior Governo teve três anos para resolver o problema do Banif, mas preferiu "enterrar" 1.100 milhões de euros dos contribuintes e empurrar o problema "com a barriga".

A candidata apoiada pelo Bloco de Esquerda (BE) afirmou que "é pena que o Presidente da República [Cavaco Silva] só se tenha lembrado de exigir estabilidade ao sistema financeiro ao Governo atual e não se tenha lembrado de o exigir ao anterior Governo".

"Porque se o tivesse exigido este problema não tinha surgido", disse.
Marisa Matias, que falava em Castelo Branco, à margem de uma conferência no Instituto Politécnico local, sublinhou que o anterior Governo teve três anos para resolver o problema do Banif.

"No entanto preferiu enterrar 1.100 ME dos contribuintes e empurrar o problema com a barriga", sustentou.

A candidata à Presidência da República acusou o atual Presidente da República de colocar sempre o partido (PSD) à frente do país.

"O que fez [Cavaco Silva] foi pura e simplesmente encobrir a incompetência e passar responsabilidades", afirmou.

Contudo, acrescentou que finalmente se está numa situação em que se vai procurar resolver o problema.

"O que tem que ser definido são princípios que de uma vez por todas protejam os contribuintes", disse.

Marisa Matias considerou o caso do Banif "mais do que paradigmático" e disse que "infelizmente foi sempre assim o comportamento do Presidente da República".

"Quem não se lembra das palavras de Cavaco Silva quando veio anunciar que era estável e seguro o BES. Nessa altura, mais uma vez, protegeu a banca e não as pessoas que devia proteger", sustentou.

A candidata sublinhou ainda que Cavaco Silva nunca mudou a esse respeito.
"Teve um comportamento para a banca e outro para as pessoas, mas sempre em favor da banca", concluiu. As ações do

Banif lideraram as perdas da sessão de hoje da Bolsa de Lisboa, tendo recuado 42,86% para 0,0008 euros, depois de, no domingo à noite, a TVI e o Público terem noticiado que o Estado está a estudar a aplicação de uma medida de resolução na instituição financeira e que poderá haver uma decisão ainda esta semana.

Essas informações levaram o Ministério das Finanças a publicar uma nota, ao início da madrugada de hoje, a afirmar que está a acompanhar a situação do Banif, nomeadamente a tentativa de venda do banco a um investidor estratégico e a garantir que irá proteger os depositantes.

Já o Banif emitiu, pela sua parte, um comunicado ao mercado a dizer que qualquer cenário de resolução ou imposição de uma medida administrativa não tem "sentido ou fundamento", após a divulgação de notícias que dão conta de que o Estado se prepara para intervir no banco.