Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Passos regressa a Bruxelas, Merkel está à espera

  • 333

STEPHANIE LECOCQ / EPA

Passos perdeu para Costa a cadeira no Conselho Europeu mas mantém o contacto com os líderes europeus do centro-direita. Com o PS no governo, existe agora a curiosidade para perceber se Passos vai continuar como líder da oposição em Portugal

Pedro Passos Coelho e a Angela Merkel deverão voltar a encontrar-se na próxima quinta-feira. Será o primeiro encontro com a chanceler alemã desde que Passos deixou de ser primeiro-ministro. O líder do PSD, agora na oposição, estará na cimeira do Partido Popular Europeu (PPE) que antecede habitualmente as reuniões de chefes de Estado e de Governo dos 28. À margem do encontro do PPE, é normal que Passos tenha uma conversa – ainda que curta – com a chanceler.

Passos perdeu para António Costa a cadeira no Conselho Europeu mas mantém o contacto com os líderes europeus do centro-direita. Na cimeira do PPE, terá a oportunidade de fazer o ponto de situação sobre a política portuguesa.

Na opinião de Paulo Rangel – que é vice-presidente do PPE –, Passos Coelho “continua a ser bem visto” porque, mesmo não tendo conseguindo formar governo, foi o vencedor das eleições em Portugal. Um “sucesso” que a própria chanceler alemã elogiou, em outubro, durante o congresso do Partido Popular Europeu em Madrid.

Com o Partido Socialista no governo, existe agora a curiosidade para perceber se Passos vai continuar como líder da oposição em Portugal. Isso mesmo tentou indagar o ministro alemão das finanças junto de Paulo Rangel, esta semana, à margem de um debate moderado pelo eurodeputado do PSD, onde estiveram também o ex-primeiro-ministro italiano Mário Monti e o ex-presidente do Banco Central Europeu Jean-Claude Trichet.

Wolfgang Schäuble estava interessado em perceber o novo cenário governativo e se o país vai conseguir ficar abaixo dos 3% do produto interno bruto, este ano e nos próximos dois.

Esta quinta-feira, Passos Coelho anunciou que se vai recandidatar à liderança do Partido Social Democrata e essa será também uma informação para passar aos parceiros europeus do centro-direita.

O caso português abriu um precedente na Península Ibérica e os líderes do PPE temem agora que o que aconteceu a Passos se repita com Mariano Rajoy. O líder do Partido Popular espanhol vai a votos no próximo dia 20 e tem a todo o custo lutado para contrariar um possível acordo tripartido entre os socialistas espanhóis (PSOE), Ciudadanos e Podemos. Por várias vezes, o ainda chefe de governo de Espanha criticou a solução portuguesa e sublinhou que a tradição em Espanha dita que quem ganha as eleições é quem governa.

Portugal mostrou que o contrário é possível. Na próxima quinta-feira, se for a Bruxelas, Mariano Rajoy poderá tirar dúvidas com Passos na reunião do PPE, ou então com António Costa durante o Conselho Europeu.