Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Lobo Xavier: “Marcelo vale mais do que os partidos”

  • 333

Marcos Borga

Antigo líder parlamentar do CDS disse na “Quadratura do Círculo” que Marcelo Rebelo de Sousa é um “caso excecional” entre os candidatos à presidência

Sob o véu de pré-campanha das eleições presidenciais, António Lobo Xavier afirmou, na noite desta quinta-feira, que Marcelo Rebelo de Sousa “está no seu terreno natural” relativamente à estratégia utilizada na corrida a Belém. “Não é puramente tático, mas sim uma posição natural”, disse o ex-líder parlamentar do CDS, no habitual programa da SIC Notícias “Quadratura do Círculo”.

O antigo deputado considera que o professor “dirige-se a um eleitorado que não se confina só ao eleitorado que votou na coligação [PSD/CDS]”, sendo este um “caso excecional, porque Marcelo vale mais do que os partidos”.

Pacheco Pereira partilha em parte da mesma ideia e sublinha que o candidato a Belém “não corresponde à estratégia do PSD/CDS”, reforçando que o apoio por parte de Pedro Passos Coelho e de Paulo Portas “não é um apoio com grande convicção”. “A estratégia de Marcelo não corresponde à de Passos. A candidatura de Marcelo é colocada no centro e isso é incómodo para a coligação”, sustenta o antigo líder da bancada parlamentar do PSD.

Numa avaliação da atual situação política, o comentador diz também que os blocos políticos não “têm verdadeiramente os candidatos que desejariam ter” na corrida à presidência da República. “Apesar da independência dos candiatos, muitos não servem as forças políticas parlamentares. Ninguém tem verdadeiramente os candidatos que desejaria ter”, disse no programa semanal.

“A estratégia de Marcelo está toda certa”

Sobre a estratégia dos candidatos a Belém, Jorge Coelho acha que “cada dia que passa é um dia bom para Marcelo”. “Vai fazer uma passeio nas eleições como se fosse um passeio na Avenida da Liberdade, em passadeira vermelha”, acredita o ex-ministro de António Guterres, explicando que os candidatos têm de trazer o professor à campanha “porque Marcelo ainda não está na campanha”.

“O professor está a desenvolver uma estratégia fazendo de conta que não há campanha nenhuma. A estratégia de Marcelo está toda certa”, justificou.